em Alimentação
21 jun, 2018

ALIMENTAÇÃO VEGETARIANA NA GRAVIDEZ

Quem me acompanha por aqui desde os tempos antigos, já deve estar familiarizado com a Carol Viesi, nossa nutri querida que é colaboradora aqui do site. Fazia algum tempo que ela não aparecia por aqui, mas resolvi chamá-la e reavivar essa nossa parceria deliciosa, pra falar sobre um dos assuntos que recebi como sugestão de pauta de vocês. Eu sou vegetariana a muitos anos e durante a minha gravidez isso não foi diferente. Percebo que esse assunto é um pouco polêmico pra alguns, então pensei que uma especialista poderia nos informar de forma mais completa e com muito mais propriedade sobre esse assunto. Seguem as palavras da Carol:

 

“Que alegria estar de volta por aqui. Ainda mais começando com um assunto tão especial para a Mônica, nessa fase tão linda de sua vida! Gestação, amamentação, introdução alimentar… Quanta coisa boa pra ser compartilhada por aqui. E quando o assunto é “sou mãe vegetariana” muitas dúvidas surgem por aí, não é? Vamos lá!

Quando a mulher descobre que está grávida, um turbilhão de emoções se espalham por todo o corpo. Dentre as infinitas preocupações, tão importante quanto fazer os devidos acompanhamentos médicos, está a alimentação! Para gerar uma vida toda mulher entra em processo máximo de funcionamento do seu metabolismo. Seus hormônios estão a todo vapor, todos os órgãos ficam hiperativados para dar conta não só das necessidades do corpo da mulher, mas para conseguir dar atenção ao novo ser que começa a se desenvolver.

 

Fotos: Pinterest

 

Sempre digo, pois precisamos lembrar as pessoas disso, que para todos os tipos de escolhas alimentares é muito importante entender que a gestação requer cuidados especiais com a alimentação, mas nada de extraordinário pra quem já vive e busca o equilíbrio nesse sentido. A gestante vegetariana, quando bem orientada, pode ter inúmeras vantagens, incluindo o desenvolvimento do seu bebê.

Compartilhando aqui um pouco de informação científica, a American Dietetic Association e a Academy of Nutrition and Dietetics, ambas dos Estados Unidos, publicaram recentemente um artigo, no Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics, no qual aprovam as dietas vegetarianas e veganas, incluindo durante gravidez e amamentação. “Dietas vegetarianas e veganas são saudáveis, nutricionalmente adequadas e podem fornecer benefícios na prevenção e no tratamento de certas doenças. A Academy of Nutrition and Dietetics ainda faz referência a estudos cujos resultados registraram que as voluntárias grávidas e vegetarianas tinham menor sobrepeso ao fim do primeiro trimestre de gravidez e menores complicações, como diabete gestacional.

Nesse período especial, a atenção com os micronutrientes deve ser redobrada, para qualquer mulher. As vitaminas e minerais por serem abundantes nos alimentos de origem vegetal (legumes, verduras, frutas, oleaginosas, leguminosas, etc), base da alimentação vegetariana, quando consumidos harmonicamente e de forma variada são devidamente supridos. Com exceção à vitamina B12 (cobalamina), principalmente para as veganas ou vegetarianas estritas (saiba mais clicando aqui), que deve ser suplementada com orientação!

| As vitaminas e os minerais são essenciais para o desenvolvimento e funcionamento do cérebro e sistema nervoso do bebê, e por não agirem sozinhas dependendo uma das outras, uma dose inadequada de vitaminas isoladas, por exemplo, pode não ter o resultado esperado. |

Acredito que sempre devemos buscar atingir as nossas necessidades através da alimentação, como primeira opção, mas quero deixar claro aqui que é muito natural e necessário um suporte extra com suplementações multivitamínicas e minerais, vitamina D, ômegas, ácido fólico e outros. Isso porque alguns micronutrientes, em especial, são extremamente requisitados para a formação do bebê, sendo que não podemos esquecer que a mamãe também deve permanecer em equilíbrio nutricional, certo?

De maneira geral, as mesmas “regrinhas” funcionam para todas as gestantes: redução de cafeína, álcool e alguns tipos de condimentos; cuidados com alguns tipos de chás (podem ser abortivos); controlar carboidratos simples; evitar e/ou comer fora de casa em lugares confiáveis; preferir alimentos orgânicos, ou seja, sem agrotóxicos; evitar e/ou excluir alimentos industrializados, etc. Abuse do que a natureza oferece em cada estação, deixando o prato sempre colorido, mastigando tranquilamente. Fique atenta aos vegetais verdes escuros, pois são boas fontes de ferro, ácido fólico e cálcio. Lembrando que, a mamãe não deve comer por dois, isso é mito! (risos)

| Dica: consuma diariamente gergelim. Rico em minerais como o manganês, ferro, cobre, fósforo e cálcio (muito mais do que o leite e de ótima biodisponibilidade), além das vitaminas do complexo B e E. Sugestão, consumir 1 colher se sobremesa em forma de tahine natural. |

 

 

Gosto sempre de explicar também que se a gravidez for planejada o casal deve preparar-se para isso mudando a sua rotina alimentar também, equilibrando da melhor maneira possível o seu corpo que é tão sagrado. Quanto melhor estiverem, mais fácil e menos riscos!

Com a Mô esse processo foi muito simples, pois como mencionei, ela já tinha em sua rotina esses cuidados especiais com a alimentação, então, só cuidou dos micronutrientes essenciais, alguns ajustes no planejamento alimentar e poucas suplementações.

Pra finalizar gostaria de dizer a todas as mamães, ou futuras mamães, que o mais importante além de tudo isso é a sua consciência! Quero dizer que acredito que você queira o melhor para os seus filhos, não é mesmo? E isso inclui a maneira como você irá se nutrir durante a gestação, como cuidará de seu corpo como um todo! Viva o que você acredita, escolha sem rótulos o que você acha correto para esse período, pois isso só diz respeito à você e seu bebê. Lembrando também que é muito importante buscar ajuda de um nutricionista para te ajudar com essas mudanças. É muito gratificante!

Espero que gostem,

Carol.”

 

 

Referências:

De bem com a natureza, de Conceição Trucom. Editora Alaúde.

http://emais.estadao.com.br/noticias/bem-estar,fim-do-mito-vegetarianismo-ou-veganismo-na-gravidez-fazem-bem-para-mae-e-bebe,70001652095

 

Feliz por te ter de volta por aqui, Carol! Espero que vocês, meus leitores queridos, gostem!

 

Vejo vocês em breve.

 

Com amor, Monica

 

 

 

 

**Sou Carolina F. Viesi, nutricionista, pós graduada em Fitoterapia Funcional, especialista em Nutrição e Alimentação Ayurveda e Personal Diet.
Vegetariana, apaixonada pela culinária intuitiva e por outros caminhos descobertos que enriquecem a minha profissão. Acredito em tudo o que é natural e que me traga de volta a essência.

@carolviesi
nutricarolviesi@gmail.com
Nutrição holística | Culinária intuitiva | Terapias complementares

FacebookGoogle+Pinterest
Postagem Anterior Próxima Postagem

You Might Also Like

PARA VOCÊ LER TAMBÉM

2 Comentários

  • Responder m. 28 jun, 2018 at 06:48

    Monica,

    que descoberta bonita tem sido este espaço! faz-me reflectir. e sorrir. e sonhar. de algum modo, reconheço-me em tanto – queria reconhecer-me em muito mais! pouca coisa tem me feito estremecer de forma positiva aqui dentro, e estas partilhas têm sido doces-inspiradoras-estremecedoras. pareço tonta? acho que sou, mas precisava de lhe dizer obrigada.

    somos da mesma idade; quando crescer quero ser tão bonita e iluminada como a Monica é.

    de coração, obrigada!

    abraço-a, daqui de longe – de Portugal.

    • Monica Benini
      Responder Monica Benini 02 jul, 2018 at 14:28

      Obrigada pelo carinho!

    Responder