Categorias de navegação

Alimentação

Alimentação

Um doce retorno.

A pausa foi (e está sendo) necessária e enriquecedora. Me sinto privilegiada – e muito grata – por ter a chance de sentar na arquibancada da minha vida pra observar tudo que plantei até hoje. Respirar fundo, mergulhar pra dentro de mim e entender melhor o caminho que eu desejo seguir. Entender o que fala mais profundamente com meu coração, porque pra mim – e aqui me isento da preocupação de parecer piegas – a vida só faz sentido quando vivida com o coração… Sabe aquela coisa de colocar (c)alma no que fazemos? Pois então, é disso que eu falo.

Desde o meu último post aqui informando da pausa, muitas coisas mudaram. Tô ainda encontrando os jogadores certos pra colocar meu time em campo e isso se mostrou ser uma tarefa mais difícil do que eu imaginava ser. Mas acredito que, passinho a passinho, chegarei onde quero chegar. A minha vontade inicial era de só voltar a escrever quando tudo estivesse reformulado, de cara nova, fresco, com uma roupagem e um conteúdo melhor ainda pra vocês, mas a verdade é que eu não aguento mais esperar. Os caracteres do Instagram se tornaram pequenos e não mais suficientes e eu sinto, frequentemente, um desejo por compartilhar aqui as coisas que venho vivendo. Além disso, me emociono a cada mensagem fofa que eu recebo de vocês pedindo pra voltar e então, fazendo jus ao disse no início deste texto, preciso seguir o que meu coração têm me falado. Sei que vocês entenderão minha ânsia por aparecer novamente por aqui e terão paciência pra esperar pelas novidades que virão a seguir. Enquanto isso, informo que voltei! Por enquanto no mesmo formato que vocês já conhecem bem, mas cheia de coisa especial pra compartilhar.

Não tenho nem palavras pra agradecer cada coração que me lê do outro lado e não consigo nem acreditar no tanto de carinho que recebo de vocês! OBRIGADA! <3 <3

OBS: Pode ser que, por enquanto, a periodicidade não seja a coisa mais exemplar desse mundo, mas resolvi deixar meu perfeccionismo um pouquinho de lado. Assim, deixarei vocês saberem por Instagram e Facebook quando surgirem novos textos por aqui, mas mesmo assim não deixem de fazer uma visitinha vez ou outra! Vocês me deixam muito feliz!

Pra marcar essa doce volta, vou compartilhar aqui uma receitinha que preparei na semana passada. Culinária têm se revelado, a cada dia mais, um grande prazer. Espero que vocês raspem o prato, assim como nós fizemos aqui em casa. Depois me contem se gostaram da receita, e se vocês gostam da idéia de eu compartilhar minhas aventuras na cozinha por aqui!

 

PANQUECA DE MIRTILO (BLUEBERRY) E AMÊNDOA

Ingredientes:

  • 6 colheres (sopa) de farinha de arroz integral – pode usar a farinha da sua preferência
  • 4 colheres (sopa) de farinha de amêndoa – ou amêndoa bem triturada
  • 1 colher (sopa) de açúcar mascavo
  • 1/2 colher (chá) de fermento em pó
  • 1 pitada de sal
  • 2 ovos orgânicos
  • 120 ml de leite de coco – pode usar mais, se quiser que a massa fique mais líquida
  • 2 colheres (chá) de azeite de oliva ou manteiga ghee
  • mirtilo (blueberry) na quantidade que vc desejar – eu usei congelado, que era o que tinha em casa, mas com mirtilo fresco fica ainda mais gostoso 😉
  • melado de cana

Modo de fazer:

Começe deixando seu forno pré-aquecido, numa temperatura média de 120 graus, pra ir guardando as panquecas assim que elas forem ficando prontas. Bata no liquidificador o leite de coco, os ovos, a farinha de arroz, a farinha de amêndoa, o açúcar, o fermento e o sal até a mistura ficar homogênea.   Retire do liquidificador e misture os mirtilos. Com cuidado, despeje a massa na frigideira, deixando a panqueca do tamanho que você desejar. Doure dos dois lados. Sirva-as mornas, com melado de cana, mel, sorvete ou o que você desejar – e sua criatividade permitir. É possível substituir o mirtilo por outra fruta de sua preferência. Bom proveito!

PanquecaMirtilo-1

 

PanquecaMirtilo-2

 

PanquecaMirtilo-3

 

Beijos (felizes) de luz no coração de vocês! Até logo!

Alimentação

Inverno, hora de recolher! por Carol Viesi

96730261cf83b9a91bf0d71893d37666

Sabia que a cada estação o corpo pede determinados tipos de alimentos e que a mãe natureza nos oferece exatamente o que precisamos? Já pensou nisso? Entramos no inverno. Nosso corpo concentra sua força para conseguir manter-se quente, em equilíbrio.

 É a fase de energia associada ao Inverno, quando prevalece a força Yin. O Inverno é o tempo do descanso, da quietude, quando a energia é poupada, recolhida, condensada, conservada e armazenada. O inverno é a estação em que a natureza hiberna e conserva a sua energia, cultivando os recursos que irão florescer na primavera.

Pela Medicina Tradicional Chinesa, que admiro muito, o inverno é a estação da quietude, repleto de dias curtos e noites longas, sendo a própria natureza nos informando sobre a postura correta que devemos ter nesse período. É a estação do elemento água, e está relacionado com os rins e bexiga e também com a força vital que flui. O sabor correspondente é o salgado e a cor é o branco.

Observando o nosso corpo e nossas vontades, sabemos que agora preferimos nos alimentar com preparos quentes, de fácil digestão, picantes e com muitos temperos. Então, vamos seguir esse raciocínio?

Agora é a hora de comer tudo cozido, assado, bem quentinho para aquecer o corpo e o seu coração. Que tal um delicioso mingau de aveia em seu café da manhã? E um creme de cabotiá, cenoura e gengibre para o jantar? Use e abuse da canela, cravo, gengibre, pimenta preta, cardamomo, curry, massalas quentes… O inverno tem o seu charme, mas também o seu sabor!

Outra dica. Frutas? Só se for cozida ou assada!

Mingau de banana c/ pasta de castanhas

savory simple

Leve ao fogo baixo: 1 copo de leite vegetal, 2 colheres sopa de aveia em flocos finos ou farinha de aveia, 1 colhere sopa de amaranto em flocos, cacau e canela a gosto, mel e mexa sem parar. Deixe engrossar um pouco. Despeje em uma tigela e coloque granola, rodelas de banana e uma colherada de pasta de castanhas de sua preferência. <3

Creme de cabotiá, cenoura e gengibre

0b458e981a238a00085b0739eab42fa1

Ingredientes:

  •  ½ cabotiá c/ a casca e sem sementes
  • 3 cenouras s/ casca
  • 2 rodelas médias de gengibre ralado fresco
  • ½ pedaço de tofú firme
  • Sal
  • Azeite
  • Cheiro verde

Preparo: Leve na panela de pressão a cabotiá (não precisa cortar) e a cenoura c/ o sal e o azeite, colocando água até cobrir bem. Deixe cozinhando por uns 15 a 20 minutos, após pressão.  Desligue o fogo, cuidadosamente retire a pressão e abra a tampa. Agora, bata com um mixer direto na panela, ou passa para um liquidificador, com a própria água do cozimento. Acrescente o gengibre, o tofu e o cheiro verde. Se necessário, acrescente um pouco mais de água. Por último, corrija o sal.

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Alimentação

Vamos cozinhar? por Carol Viesi

Dando sequencia, e cumprindo com o prometido, selecionei algumas receitas fáceis, nutritivas e vegetarianas pra vocês. Espero que gostem!

Tortinha de tofú cremoso e shitake

tofu shitake

Ingredientes:

  • 3 colheres de sopa rasa de farinha de arroz
  • 2 colheres de sopa rasa de quinoa em flocos (ou aveia em flocos finos)
  • 1 colher de sobremesa de azeite (ou óleo de coco)
  • 3 colheres de sopa de água (ou o suficiente para unir os ingredientes)
  • Pitada de sal rosa
  • Cúrcuma a gosto
  • Zattar a gosto (ou outro mix de especiarias)
  • Gergelim a gosto
  • Cogumelos shitake temperados e refogados a gosto

Modo de Preparo:

Misture muito bem com um garfo todos os ingredientes. Coloque a massinha em uma forma pequena de quiches ou tortas e leve ao forno por 10 min. Enquanto isso, bata bem (também com um garfo) 1 fatia grossa de tofu, 1 colher de sopa de pasta de castanha e sal. Para os cogumelos, basta refogar c/ temperos que goste. Após retirar a massinha do forno, coloque por cima o creme de tofú, os cogumelos e enfeite c/ ervas frescas. Pode ser acompanhada por uma salada!

Cookies macios

fonte: acozinhadaovelhanegra.com

fonte: acozinhadaovelhanegra.com

Ingredientes:

  • 1/2 xícara de chá de aveia em flocos
  • 1/2 xícara de coco ralado
  • Um pouco menos de 1/4 xícara de melado de cana
  • 3 colheres de sopa não muito cheia de cacau em pó
  • 2 colheres de sopa de cacau nibs
  • 2 colheres sobremesa de manteiga de coco (ou manteiga ghee, ou óleo de coco)
  • 1 ovo orgânico

Modo de Preparo:

Junte todo o seu amor e energias boas com os ingredientes à cima e misture com as pontas dos seus dedos. Pré aqueça o forno e coloque papel manteiga em uma assadeira. Com as mãos, faça formatos que bolas achatadas, deixando-as mais grossas. Leve ao forno por 15 minutos apenas. Eles ficam macios, e essa é a graça! Você não vai conseguir esperar esfriar, te garanto.

Ótima opção de lanchinhos para adultos e crianças! Um concentrado de fibras, vitaminas e minerais, gordura boa, antioxidantes…

Hambúrguer de quinoa

fonte: www.receitasanamaria.net

fonte: www.receitasanamaria.net

Ingredientes:

  • 3 colheres (sopa) de azeite de oliva
  • 1 e ½ xícara (chá) de cebola roxa picada
  • 1 xícara (chá) de alho-poró finamente picado
  • 1 xícara (chá) de Quinua Orgânica em Grãos cozida (conforme preparo básico da embalagem, a partir de ¾ xícara (chá) de quinua crua)
  • 2 xícaras (chá) de cenoura ralada
  • 1 xícara (chá) de couve-flor picada
  • ½ xícara (chá) de tofu firme
  • ½ xícara (chá) de salsinha picada
  • 1 colher (sopa) de shoyu natural ou missô
  • ½ xícara (chá) de cebolinha picada
  • ¼ de xícara (chá) de Farinha de Linhaça Integral
  • ¼ de xícara (chá) de Gergelim Integral

 Modo de Preparo:

Coloque o azeite em uma frigideira grande e salteie a cebola roxa com o alho-poró por 10 minutos em fogo médio, mexendo constantemente ou até a cebola ficar transparente. Desligue o fogo e adicione os demais ingredientes aos poucos (exceto a linhaça e o gergelim). Amasse com as mãos, até formar uma massa homogênea e firme. Molde os hambúrgueres com aproximadamente 10 cm de diâmetro e 1,5 cm de altura. Para empaná-los, primeiramente coloque a linhaça e o gergelim e em um prato raso, passe os hambúrgueres, um a um, nesta mistura e disponha-os em uma assadeira. Leve-os para assar em forno médio preaquecido (180ºC) por 20 minutos.

Espero que tenham gostado! Façam e compartilhem com a gente <3

 

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Alimentação

Quero fazer a minha parte. E agora?

Sem Título-1

“Por dia, uma pessoa que come uma dieta vegana poupa 1.100 litros de água, 45 quilos de cereais, 2,79 m² de terrenos florestais, 9 kg de Co² e a vida de um animal. Um hambúrguer exige 660 litros de água para produzir, o equivalente a dois meses de banhos de chuveiro. São necessários 2.500 litros de água para produzir 1 kg de carne.”

Pois é! Você também ficou chocado com os dados apresentados pelo documentário chamado “Cowspiracy: o segredo da sustentabilidade”, um trocadilho que, em inglês, é algo como “a conspiração da vaca”? Sentiu que precisa fazer algo a respeito, e pra ontem?

punchbowlsocial.com

punchbowlsocial.com

Calma, é mais simples do que você imagina.

Penso que, primeiramente, devemos pensar no real motivo de excluir, ou reduzir a máximo, o consumo de alimentos de origem animal. Quero dizer que, não adianta em nada tornar-se vegetariano por modismo se ao sentir o cheio de um peito de peru ou um grelhado a sua vontade é simplesmente comê-los.

O primeiro passo é ser sincero com você mesmo. Chegou a sua hora? Isso faz sentido a você? O que mais te preocupa? Saúde? Meio ambiente? Social? Tudo isso junto? Então, comece devagar! Que tal começar a testar novas receitas e permitir que seu corpo experimente novos alimentos e preparações? Nada como observar a si mesmo. Sua saúde será outra, te garanto! (risos)

A primeira grande dúvida é “se não vou comer carne, o que comerei?”. A segunda seria “vou ter carência de proteína e vitamina b12?”. Além de outras tantas. Mas, eu te digo como nutricionista e experiência própria é que não, você não precisa se preocupar, desde que equilibre a sua alimentação de maneira correta.

Vamos lá!

Do ponto de vista nutricional, ser vegetariano significa não se alimentar de nenhum tipo de carne (vaca, frango, peixe, carneiro, avestruz, escargot, “frutos” do mar, entre outros) nem de produtos feitos com carne (presunto, salsicha, hambúrguer, salame, atum enlatado etc.). Quem come qualquer tipo de carne, mesmo que ocasionalmente, não é vegetariano!

As diferentes formas de vegetarianismo A inclusão ou exclusão de produtos derivados de animais no cardápio diário é o que determina o tipo de vegetarianismo adotado:

VEGETARIANO ESTRITO – não consome nenhum tipo de carne, ovos, mel, laticínios e produtos que incluam derivados animais entre os ingredientes, como gelatina, albumina, proteínas do leite, alguns corantes e espessantes.

LACTOVEGETARIANO – não consome nenhum tipo de carne nem ovos, mas utiliza laticínios.

OVOVEGETARIANO – não consome nenhum tipo de carne nem laticínios, mas utiliza ovos.

OVOLACTOVEGETARIANO – não consome nenhum tipo de carne, mas utiliza ovos e laticínios.

O que o vegetariano deve comer?

 Tanto vegetarianos quanto não vegetarianos devem conhecer os grupos de alimentos e aprender a combiná-los para a melhor obtenção de nutrientes.

fonte: meuvegano.com.br

fonte: meuvegano.com.br

Os grupos alimentares podem ser divididos em:

CEREAIS – arroz, trigo, centeio, milho, aveia, quinua, amaranto e produtos feitos com eles, como pães, massas de tortas, macarrão etc.

LEGUMINOSAS – todas as variedades de feijões, grão-de-bico, soja (de preferência, na forma de tofu), lentilhas, ervilhas, favas e assemelhados.

OLEAGINOSAS – nozes, amêndoas, castanhas, pistache, macadâmia e sementes (girassol, abóbora, gergelim, linhaça etc).

AMILÁCEOS – inhame, batata, cará, mandioca, batata doce e outros.

LEGUMES – abobrinha, chuchu, pimentão, berinjela, cogumelos etc.

VERDURAS – couve, rúcula, agrião, brócolis, mostarda, escarola, alface, taioba, algas e muitas outras.

FRUTAS – caqui, banana, manga, maçã, pera, figo, uva, melancia etc.

ÓLEOS – azeite de oliva e óleos de soja, girassol, linhaça, entre outros. Na dieta equilibrada deve haver consumo diário de todos os grupos citados acima

Viu só como esses alimentos muitas vezes já fazem parte da sua alimentação diariamente? Não é difícil!

            Agora, falando um pouco sobre as proteínas. A questão da proteína disponível nos alimentos de origem animal e vegetal gera muita confusão. Vale lembrar também que as proteínas são compostas de aminoácidos, e que não existe nenhum AMINOÁCIDO ESSENCIAL necessário ao organismo humano que não seja encontrado em abundância nos alimentos do reino vegetal. Os cereais (arroz) e as leguminosas (feijões) contêm todos os aminoácidos essenciais, mas em proporções diferentes; por isso é interessante consumir cereais e leguminosas diariamente. Não precisam estar na mesma refeição, mas é bom que sejam ingeridos no mesmo dia.

O que substitui a carne?

As leguminosas são as substitutas ideais para as carnes. Isso inclui grão-debico, ervilhas, lentilhas, favas, soja e todos os tipos de feijão. Por serem mais nutritivas e ricas em proteínas, são escolhas mais adequadas do que a PVT (proteína vegetal texturizada, conhecida como “carne de soja”). A ideia de que o consumo de soja é obrigatório para quem não come carne é um mito. Vegetarianos não precisam comer soja. Qualquer feijão é um excelente substituto para o consumo das carnes. O tofu entra como parte do grupo dos feijões, por ser derivado da soja. Ele é uma boa opção, pelo seu alto teor de proteínas e por conter cálcio BIODISPONÍVEL (com boa absorção pelo corpo).

Na prática:

EM PROPORÇÕES NUTRICIONAIS, 7 COLHERES DE SOPA DE FEIJÕES COZIDOS SUBSTITUEM 100G DE CARNE. Já pensou nisso?

Montei um esquema pra vocês consultarem sempre. Vejam só onde estão as fontes de proteína vegetal:

• Feijões, lentilhas, fava e grão de bico: podem ser consumidos desde a maneira tradicional, ou germinados, o que aumenta seu potencial nutritivo, além de ser rico em probióticos e enzimas, facilitando assim sua digestão e reduzindo a produção de gases em pessoas predispostas a este efeito com grãos.

• Semente de abóbora: outra fonte muito rica, que pode ser usada como petiscos no meio da tarde, ou como complemento em saladas, ou ainda em sucos e granolas.

• Cereais como quinoa e amaranto, o alpiste, as sementes de girassol e gergelim: são também ótimas fontes de proteína vegetal.

• Nozes e castanhas: podem ser usadas como lanche, em sucos, leites ou queijos e ainda em preparações mais elaboradas, como burgers ou doces vivos.

• Cogumelos: também são ótimos “substitutos” da carne, sendo preparados In natura, como burgers, ensopados ou empanados, como elemento principal num risoto.

• Algas como espirulina e clorela: são ótimas fontes proteicas, pois oferecem muita proteína concentrada, além de serem fontes de vitamina B12. Podem ser ingeridas em cápsulas ou em pó, e são ótimas para reduzir a “vontade” de carne e ovos num período de transição.

fonte: ohsheglows.com

fonte: ohsheglows.com

Não fiquem presos às classificações. Afinal, eu simplesmente acho que “rótulos são para geleias”! Se você quer que seus dias sejam baseados em alimentos vegetais, mas quer comer ovo orgânico, qual é o problema? Quer começar reduzindo apenas, já não é um grande passo?

Gostaram dessas orientações?

Querem receitas para começar a praticar? Então, continuem acompanhando o blog =)

Leitura de apoio: http://www.svb.org.br/livros/alimentacao-vegetariana.pdf 

Livro “Virei vegetariano, e agora?” e “Alimentação sem carne”, escritos pelo dr. Eric slywitch.

Site Vista-se

Site Segunda Sem Carne

Namastê!

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Alimentação

Limpando o corpo com DETOX por Carol Viesi

Vocês também sentem que o ano só começa após o carnaval? Parece que antes dele nós não “pegamos no tranco”, né? Então, essa é a melhor hora de explicar pra vocês o que é a tão famosa limpeza do corpo chamada detox.

              A palavra deriva do termo “destoxificação” que nada mais é do que o processo natural que o corpo realiza diariamente em eliminar as toxinas. Os principais órgãos responsáveis são fígado e intestino, apesar de ocorrer em todo o corpo. Porém, são tantos exageros, hábitos ruins, poluição, estresse e muito mais, que precisamos dar um empurrãozinho de vez em quando para reagirmos melhor e facilitarmos essa eliminação.

              Através da nutrição com alimentos chaves, conseguimos fazer essa limpeza de maneira eficiente. Lembrando que, o correto seria o acompanhamento por um nutricionista, pois, ele saberá a sua real necessidade e fará um planejamento individualizado pra você, certo?

              São tantos benefícios… Dá uma conferida aqui:

  • eliminação de substâncias tóxicas consumidas no dia a dia, como agrotóxicos, conservantes alimentares, álcool, medicamentos, químicos provenientes de produtos de beleza e limpeza, entre outros,
  • tonificação dos órgãos;
  • melhora a nutrição e qualidade da pele, unhas e cabelos;
  • auxílio no aumento da imunidade;
  • auxílio em tratamentos de enxaquecas e sintomas de TPM;
  • diminuição da retenção de líquidos, especialmente em mulheres;
  • redução da compulsão por doces;
  • aumento da vitalidade e energia;
  • atuação na melhora de alergias, problemas de pele, problemas emocionais, de memória e cognitivos.

              Deu vontade, né?

              Deixo aqui pra vocês, duas receitas maravilhosas, com ingredientes que desempenham papeis fundamentais para isso. Muito fácil!

Tônico de açafrão (cúrcuma)

Turmeric-Tonic1

fonte: mommypotamus.com

Ingredientes:

  • 1 xícara de água de coco
  • 1 col chá de açafrão fresco ralado (sem casca)
  • 1 col café rasa de gengibre fresco ralado (sem casca)
  • ½ limão espremido
  • 1 col chá de mel
  • 2 colheres de sopa de salsão fatiado fresco
  • ½ pepino japonês
  • 1 pitada de sal do himalaia (sal rosa)
  • 1 pitada de pimenta do reino moída na hora

Preparo: bata todos os ingredientes, muito bem, e tome em seguida. Ideal em jejum, pela manhã.

Suco Rosa

sucorosa

fonte: scifighting.com

Ingredientes:

  • 1 punhado de morangos congelados
  • 1 beterraba crua , descascadas
  • 2 colheres de sopa de bagas de goji secas , opcional
  • 1 colhere de sopa sementes de chia
  • 1 col café de gengibre fresco ralado
  • 1 e ½ copo de água natural

Preparo: bata todos os ingredientes, muito bem, e tome em seguida. Ideal em jejum, pela manhã.

É muito importante que os ingredientes sejam orgânicos, pois queremos eliminar as toxinas e não ingeri-las, certo?

Gostaram das dicas? Compartilhe com a gente!

 

 

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Alimentação

Ho Ho Ho, Feliz Natal! por Carol Viesi

Todo mundo entrando em clima de final de ano, né? Muitas festas e comilanças. Desesperou? Ainda não sabe o que cozinhar de maneira saudável e especial? Calma que eu selecionei algumas receitas pra te inspirar!

Dá uma olhada. Pode parecer complicado, mas te juro que não é!

SALADA PERFEITA

Almond_Mint_Quinoa_Quinoa_Salad (1)

Ingredientes

  • 1 abobrinha
  • 1 berinjela
  • 2 colheres de sopa de azeite prensado a frio, extra para grelhar
  • 1 dente de alho esmagado
  • sal marinho
  • 300 g de quinoa
  • 750 ml de água
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • suco de ½ limão
  • um punhado de folhas de hortelã
  • 1 punhado de folhas de coentro (opcional)
  • 2 abacates, cortados em cubos pequenos
  • 3 colheres de sopa de uvas passas (brancas e pretas)
  • Sementes de 1 romã grande
  • 100 g de amêndoas salgadas e torradas

Modo de preparo

Para marinar os legumes, pré-aqueça o forno a 200 ° C. Corte a berinjela e a abobrinha em rodelas finas. Unte uma assadeira com azeite, e coloque as rodelas dos legumes. Polvilhe com sal. Asse até ficar macio e levemente queimado nas bordas, por cerca de 15 minutos. Retire os vegetais do forno e coloque em uma tigela. Adicione o azeite e alho e reserve.

Lavar a quinoa bem em água corrente. Coloque em uma panela e adicione a água, a canela e colher de chá de sal medida. Deixe ferver e reduza o fogo imediatamente. Cubra e cozinhe lentamente durante 15-20 minutos.

Para montar a salada, coloque a quinoa cozida em uma tigela grande e deixe esfriar ligeiramente. Adicione o suco de limão, ervas, legumes assados, abacate e uvas passas e misture até que tudo esteja bem combinados.

Decore com as sementes da romã e amêndoas. Servir ou armazenar na geladeira em um recipiente hermético por 3-5 dias.

TORTA DE PÊRA E ACELGA

MTMxNzYwODI3MzkxODY0ODAy

(Aran Goyoaga)

Ingredientes da massa

  • ½ xícara (70 g) de farinha de arroz, mais para polvilhar
  • 1/3 xícara (45 g ) de farinha de quinoa
  • 1/3 xícara (35 g ) de farinha de amêndoa
  • 2 colheres de sopa de fécula de batata
  • 2 colheres de sopa de goma de tapioca
  • 1/2 colher de chá de sal
  • 1/4 colher de chá de pimenta preta moída na hora
  • 110 g de manteiga sem sal, gelada, cortada em cubos (não se preocupe com a quantidade, afinal, é Natal) OU use óleo de coco até dar liga
  • 6 a 8 colheres de sopa de água gelada

Preparo da massa:

  1. Adicionar os primeiros sete ingredientes no processador de alimentos. Bata até misturar bem. Adicione a manteiga fria o ligue em pulsar, e bata até ficar homogêneo.
  2. Adicione as 6 colheres de sopa de água gelada e bata bastante. Não vai formar uma bola. Verifique a massa para ver se ela está única quando apertar com os dedos. Adicione mais água, se necessário.
  3. Despeje a massa em uma bancada higienizada, amasse-a e pressione-a para formar um disco. Envolva-a com filme plástico. Pressione-a para baixo para achatá-la ainda mais e leve à geladeira por 30 minutos.
  4. Pré-aqueça o forno a 190 ° C. Sacuda o seu (de preferência frio). Retire a massa da geladeira, jogue um pouco de farinha de arroz por cima e acomode-a em uma forma para tortas. Pressione no meio e nas laterais. Corte o excesso de massa. Refrigere a massa durante 15 minutos.
  5. Retire a massa da geladeira, coloque por cima um pedaço de papel manteiga e grãos de feijão para pesar (depois descarte-os ou deixe-os apenas para estes fins). Asse por 20 minutos. Remova os pesos da torta e papel e continue a assar por mais 10 minutos, até ficar levemente dourada. Deixe esfriar ligeiramente enquanto prepara o recheio. (Deixe o forno)

Ingredientes do recheio

  • 2 colheres de azeite
  • 1 alho-poró médio , cortado em fatias finas
  • 2 dentes de alho picados
  • 4 xícaras (175 g) acelga fatiada finamente
  • 2 colheres de sopa de vinho branco (opcional)
  • 1 colher de chá de sal
  • 1/2 colher de chá de pimenta preta moída na hora
  • Pitada de noz-moscada ralada na hora
  • 2 ovos
  • 1 colher de sopa de farinha de arroz ou amido de milho
  • 1/2 xícara (125 ml ) de leite de arroz, ou outro vegetal
  • 1/2 xícara (125 ml) de leite de coco sem açúcar, ou leite vegetal
  • 60 g de queijo de búfala ralado, ou queijo vegetal (para veg)
  • 2 pêras cortadas fatias finas
  • Mini folhas para enfeitar

Preparo do recheio:

  1. Em uma panela grande, adicione o azeite e refogue o alho-poró até ficar macio.
  2. Adicione a acelga, vinho branco, ½ colher de chá de sal , ¼ colher de chá de pimenta do reino e noz-moscada . Cozinhe até que a acelga fique macia e a maior parte do líquido tenha evaporado, cerca de 5 minutos. Deixe esfriar ligeiramente.
  3. Em uma tigela misture os ovos , farinha de arroz doce, leite, leite de coco, ½ do queijo, ½ colher de chá de sal, e ¼ colher de chá de pimenta preta. Irá formar um creme.
  4. Preencha a torta com a mistura da acelga e cubra com fatias de pêra. Pressione levemente o recheio para baixo e despeje o creme sobre ele. Cubra com o restante do queijo.
  5. Asse em forno 190 ° C por aproximadamente 25 minutos, até dourar. Deixe esfriar um pouco antes de cortar. Sirva a torta decorada com as mini folhas ou cebolinha picada.

TRUFAS DE MANTEIGA DE AMENDOIM (vegan)

(Compassionate Cuisine)

(Compassionate Cuisine)

Faz cerca de 22 trufas

Ingredientes

  • 1/2 xícara (120ml) de manteiga de amendoim
  • 1/2 xícara (80g) de tâmaras, sem caroço
  • 1/2 xícara (70g) de amêndoas, cajus ou amendoins
  • 1/3 xícara (30g) de aveia em flocos
  • 100g de chocolate amargo
  • Para o enfeitar: amendoins picados ou pepitas de cacau cru

Modo de preparo

Pique no processador de alimentos a aveia em flocos e as amêndoas, e transfira esta mistura uma taça. Triture desta vez no processador as tâmaras, até formarem uma bola, e junte a manteiga de amendoim. Combine a mistura de manteiga de amendoim com a aveia e amêndoas picadas numa taça. Verifique a consistência desta massa, e se é possível fazer bolinhas. Se necessário, junte mais manteiga de amendoim. Faça cerca de 22 bolinhas, moldando-as com as mãos, e de diâmetro de aproximadamente 2cm.

Derreta o chocolate em banho-maria, passe as bolas de manteiga de amendoim uma a uma pelo chocolate derretido, e coloque-as num tabuleiro com papel vegetal. Antes que o chocolate solidifique, coloque amendoins picados, pepitas de cacau cru, ou outros, nas bolinhas. Leve ao freezer para o chocolate solidificar.

Depois de pronto

Depois de pronto

Gostaram dessas ideias? E vocês,  já pensaram no menu para o Natal?

Compartilhe com a gente. <3

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Alimentação

I ❤ NUTS!

Homemade-Cashew-Nut-Butter-4

Castanha de caju, do Brasil, amêndoa, avelã, barú, noz, pecã, macadâmia, pistache, pinhão, amendoim, semente de gergelim, girassol, abóbora… E não para por aí! Todas essas frutas oleaginosas e sementes decidiram ficar de vez em nossas vidas. Comer uma castanha do pará por dia, já era regra nacional, agora, comer uma colher de sobremesa de pastas de castanhas já virou desejo de todos.

Mas por quê?

As castanhas e sementes são importantes fontes de nutrientes e trazem vários benefícios à saúde, como gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, fibras, proteínas, sais minerais (potássio, cálcio, magnésio), antioxidantes (selênio e vitamina E), vitaminas (ácido fólico, vitamina E, niacina), fitoquímicos (carotenoides, flavonoides, e fitosteróis). Apesar de ter alto valor energético, em virtude da composição de ácidos graxos, as oleaginosas podem influenciar beneficamente no bem estar e equilíbrio do seu corpo.

Imagine que em uma porção você recebe uma dose “anti tudo” (risos). Olha só: os fitoquímicos encontrados nas frutas oleaginosas têm sido associados às propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, anti-proliferativas, antivirais, e assim vai! Isso porque eu nem disse que elas também reduzem o colesterol ruim, riscos de câncer e doenças cardíacas (#omg)!

Nossa mãe terra é tão sábia, não é mesmo?

Photography-Nuts-Macro-Hi-Res-Wallpaper-2560x1600

Já percebeu que essa noz é muito parecida com um de nossos órgãos? Sim, o cérebro! E, magicamente, ele é muito beneficiado quando a consumimos.

Mas, nem tudo são flores. O consumo das oleaginosas e sementes também deve ser equilibrado e requer alguns cuidados. Assim como outros grãos, o ideal é que sejam colocadas de molho por pelo menos 4 horas antes do consumo, pois assim conseguimos retirar alguns fatores antinutricionais que elas contêm. Não podemos ultrapassar as quantidades recomendadas, de preferência por um nutricionista, porque o excesso também ultrapassa as quantidades de que o nosso corpo precisa. Coma poucas unidades de cada!

Uma dica é usar pastas de castanhas, sem açúcar simples, puras ou com açúcar de coco, cacau ou temperos salgados. Pode-se acrescentar junto às frutas do café da manhã, por cima de panquecas, recheio de tapiocas, cobertura de biscoitos salgados e de arroz, cobertura ou recheio de bolos integrais. Ou, ousar um pouco mais.

Docinhos enérgicos:

@gkstories

@gkstories

Base para tortinhas doces:

Vegan_apple_tartlets_01

Bolos:

Raw_Brownies_1

Molho branco:

mynewroots.org

mynewroots.org

Pra ficar mais fácil, deixo aqui as minhas sugestões de marcas ótimas de pastas prontas que existem no mercado:

Gostaram? Na próxima, que tal uma receita de tortinha crua com castanhas?

carolsign2

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Alimentação

Que tal um smoothie?

Fonte: Green Kitchen Stories

Essa bebidinha gelada, feita à base de frutas, iogurtes, leites vegetais e muito gelo, vem conquistando os nossos corações. Não é? De origem californiana, mas que já é totalmente popularizado, os smoothies foram transformados em versões cada vez mais saudáveis e saborosas.

A ideia é agregar ingredientes nutritivos no preparo, para que você possa inseri-lo em seu dia a dia como café da manhã, lanches intermediários, pré e pós treinos.

Use sempre algumas pedras de gelos, à seu gosto, frutas congeladas (banana, biomassa, morango, frutas vermelhas, manga), leite vegetal (arroz, castanhas, amêndoas, inhame, coco e quinoa) ou água de coco, superfoods em pó (matchá, spirulina, clorella, maca peruana, cacau puro, açaí), proteínas vegetais (à base de arroz, ervilha e batata), frutas secas (tâmaras, ameixas, damascos, gojiberries), termogênicos naturais (gengibre, canela, pimenta rosa), fibras (farinha de coco, farinha de linhaça, aveia em flocos finos, farinha de maracujá) e sementes (chia, linhaça, hemp seeds)… Deu pra imaginar a explosão de nutrientes, sabor e saciedade? (Risos)

Escolhendo alguns ingredientes, você já consegue fazer!

Imagem inspiradora: nutritionstripped.com

Imagem inspiradora: nutritionstripped.com

Smoothie de banana e cacau

Ingredientes:

  • 3/4 (ou 1) xícara de leite de amêndoas
  • 1 banana nanica (ou banana maçã) bem madura congelada
  • 3 cubos de gelo
  • 1 tâmara seca sem caroço
  • 1 colher de café rasa de cacau em pó
  • 1 colher de café de farinha de linhaça
  • Canela em pó

Preparo: Bata todos os ingredientes, exceto a canela, em um liquidificador até ficar cremoso à seu gosto. Coloque em um copo ou garrafinha e finalize com canela em pó.

As crianças também vão amar!

Imagem inspiradora: nutritionstripped.com

Imagem inspiradora: nutritionstripped.com

Smoothie de laranja e gergelim

Ingredientes:

  • 2 ou 3 colheres de sopa de gergelim sem sal (deixados de molho de um dia para o outro)
  • 1 laranja descascada cortada em pedaços
  • 1 copo de água gelada, ou água de coco
  • 3 cubos de gelo
  • 4 ou 5 tâmaras desidratadas sem caroço (deixadas de molho por 2 horas)
  • 1 colher de chá de canela em pó, ou gengibre
  • ½ xícara de frutas vermelhas congeladas

Preparo: Escorra a água do gergelim e das tâmaras. Despeje todos os ingredientes no liquidificador, exceto as frutas vermelhas, e bata bem. Em um mixer, bata as frutas vermelhas até ficar em consistência de “geleia”. Em um copo, adicione primeiro as frutas vermelhas batidas e depois o conteúdo do liquidificador. Se desejar, finalize com sementes de chia!

Ficaram inspirados?

Invente o seu smoothie e compartilhe com a gente! #quetalumsmoothie

carolsign2

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Alimentação

Comida de alma!

Encontrar pessoas que pensam como a gente, é muito bom! Foi assim, conhecendo um pouco mais sobre a Mônica, que percebi o quanto ela é coerente em suas escolhas e o quão forte é a sua vontade em dividir, neste espaço, suas preocupações em buscar formas sustentáveis de ser e de viver.

Deixo aqui registrada a minha gratidão pelo convite. Poder compartilhar com vocês as minhas experiências, aquilo que acredito e vivo, é realmente especial. Vou ajudá-la e desvendar os caminhos para uma alimentação equilibrada e coerente.

A ideia é deixar claro pra vocês que o alimento é algo mágico, que tem tudo de bom a nos oferecer, e que nunca devemos enxergá-lo como inimigo, algo penoso e que exige sacrifícios. Se pudéssemos entender realmente o que acontece com o nosso corpo quando sentimos vontade de algo e, por infinitos motivos, negamos e deixamos de lado, pensaríamos um pouco diferente.

Aran Goyoaga, Cannelle et Vanille- grande inspiração pra mim.

Essa imagem retrata bem o que acredito. Os alimentos estão ao nosso favor, nos oferecendo o seu sabor, o seu frescor, seus nutrientes, nos dando a energia que precisamos, o estado de prazer que mexe com nossos sentidos, além de confortar a nossa alma. Quem aí nunca fechou os olhos e arrepiou os braços ao colocar na boca aquele pão caseiro quentinho com manteiga, e de brinde teve aquela lembrança calorosa da casa da sua avó quando pequena? Pois bem, nesse exato momento, você vivenciou memórias de prazer através do seu paladar, e outros sentidos, que ajudaram a recarregar o seu organismo de endorfina, que é um perfeito analgésico e relaxante interno! Nós vivemos em busca do prazer, pois esse é o nosso estímulo natural.

O que eu quero dizer à você, não é que devemos comer de tudo todos os dias. Quero que você ofereça ao seu corpo alimentos frescos e saudáveis, que você vá a cozinha preparar a sua refeição sempre que possível, e que aprenda, de forma harmoniosa, a incluir esses alimentos, considerados por você inadequados ao seu dia a dia. Sem culpa, sem medo e com felicidade, pois assim a ansiedade vai embora e fica tudo bem.

Salada crua de brócolis, romã, sementes e iogurte, Green Kitchen Stories

Salada crua de brócolis, romã, sementes e iogurte, Green Kitchen Stories

Perceba mais o seu corpo. Primeiro de tudo é aceita-lo. Cada um tem um biotipo, uma estrutura física, que tem um limite de mudanças. Por exemplo, se você mastigar bem em suas refeições, você começará a perceber a sua saciedade e, consequentemente, você começará e sentir que precisa de menor quantidade de comida para que isso aconteça. Sabe o que é isso? Comer consciente, comer intuitivamente, ou seja, você alimentou-se essencialmente por razões físicas ao invés de emocionais, e baseou-se nos sinais internos de fome, plenitude e saciedade.

Quando nos proibimos de comer aquele doce, bem doce, nossa vontade só aumenta a cada “não, estou de dieta”. Aí, quando você perde o controle, a sensação é de um dragão atacando o vilarejo. Se você, assim que a vontade veio, tivesse comido um bombom, por exemplo, seu corpo iria entender que você deu a ele o que precisava e, pronto, passou. Ou seja, você comeu muito pouco, sentiu prazer, e não deixou o tempo transformar aquilo em culpa!

La Tartine Gourmande

La Tartine Gourmande

Nós já temos muitos desprazeres decorrentes à vida, o alimento e a comida não podem se somar a isso. Fazer as pazes com a comida, nos torna mais conscientes das nossas reais necessidades internas. Aqui, neste espaço, vou compartilhar muitos caminhos, muitas receitas, informações sobre os alimentos, muitas imagens e cores que vão inspirá-los nessa busca pela comida de verdade, pela comida que conforta a alma e o coração!

Gratidão!

carolsign2

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Alimentação

Meu alimento é meu remédio

Recentemente perguntei no meu Instagram o que as pessoas gostariam de ver por aqui… Criar o blog me despertou uma vontade de dividir mais com as pessoas. Primeiro, quero agradecer a todo mundo que respondeu, várias ideias surgiram depois de ler as curiosidades de vocês, mas um assunto foi muito comentado e eu amei! Muita gente tem vontade de saber mais sobre a minha alimentação e essa é uma questão que faz parte dos meus dias de forma muito consciente, estou sempre buscando alternativas para me alimentar melhor e acredito muito em uma frase de Hipócrates que diz “que seu alimento seja seu remédio, e que seu remédio seja seu alimento”.

Como muitos já sabem, sou vegetariana há aproximadamente 6 anos, não como carne de nenhum animal e sigo na minha rotina uma dieta vegana. Há também muita dúvida sobre a diferença entre o vegetarianismo e o veganismo. O vegetariano não consome carnes, o vegano não consome nenhum alimento nem produto de origem animal. É claro que no meu mundo ideal, eu seria 100% vegetal, mas ainda não consigo e acredito que tudo é um processo. O vegano tem como base de sua filosofia a questão ética e defende radicalmente que o sacrifício e exploração animal não devem ser aceitos para atender a nenhuma de nossas necessidades, sejam elas estéticas, alimentares ou qualquer outra. Como sabemos, muitas empresas de diversas áreas testam em animais, eu falarei desse assunto mais pra frente, mas também existem muitas marcas que não usam animais em seus testes e busco, sempre que possível, priorizar estas empresas. Mesmo que eu não consiga tomar todas as atitudes veganas, acho válido fazer quando está ao meu alcance. Afinal, só porque não posso fazer tudo, não quer dizer que eu não possa fazer nada.

NYC

Há quem seja julgado por comer peixe e não comer outras carnes, há quem considere essa uma atitude hipócrita. Eu não como peixe, mas acho incrível que a pessoa faça o que pode, isso não deveria ser motivo de reprovação. Há quem não use couro por questões éticas, mas use lã. Há quem coma carne todos os dias, mas seja adepto da segunda sem carne, maravilhoso também! Cada um dá o que pode, faz o que consegue e qualquer atitude sempre vai ser melhor que nenhuma. Aumentar a consciência no processo de consumo e estar atento aos processos já é de grande valia e em qualquer aspecto que uma pessoa contribuir para a redução do sofrimento animal, já será incrível mesmo que em outro ainda não contribua.

Minha relação com a comida diz respeito só a mim, acho válido compartilhar, mas não quero soar como se essa fosse uma verdade absoluta. Minha alimentação é o que funciona pra mim e o que funciona pra você pode perfeitamente não ser nada do que acredito e isso não quer dizer que exista um certo e um errado. Jamais vou tentar convencer alguém de que é preciso não comer animais para ser alguém melhor, afinal, sou casada e apaixonada por um onívoro e isso em nada muda.

Esse é um post introdutório pra dizer que estou muito feliz que tenha gente que queira ler sobre o assunto porque é algo que realmente me fascina e que adoro pesquisar à respeito e me atualizar… Por isso, sempre vou querer compartilhar por aqui e vou adorar responder comentários com possíveis dúvidas de vocês. Também tenho uma surpresa pra vocês! Em breve teremos posts com a nutricionista Carol Viesi, porque apesar de eu falar muito sobre comida, não sou uma profissional, vou falar sobre o que eu faço na minha rotina, mas é a doutora quem vai poder explorar o assunto com mais propriedade e conhecimento. Já fica aqui meu muito obrigada a ela por topar o convite e me ajudar a espalhar informação!