Categorias de navegação

Moda

em Moda
30 jul, 2020

A INDÚSTRIA DA MODA E O SLOW FASHION

Quando você compra uma blusa nova, você já parou para pensar em como aquele produto chegou até àquela estante da loja? Ao olhar para o seu guarda-roupa, já passou por aquela situação de, apesar de vê-lo cheio, pensar que não tem roupa para alguma ocasião? Por que será que a maioria de nós já sentiu ou sente isso e, muitas vezes, nem se dá conta de como o que compramos é produzido? Eu queria conversar um pouco com você sobre isso, porque penso que nos comunicamos pela nossa roupa, na moda, como uma expressão do que queremos dizer. Moda é discurso, narrativa e, também, uma escolha política.

Muito desse modo de agir e pensar, na busca por novidades de vestuário todo tempo, é incentivado pelo fast fashion. Esse é um modelo de produção da indústria da moda que se fortaleceu com o avanço de grandes corporações, geralmente caracterizado pelas lojas de departamento. Uma lógica bastante problemática de funcionamento, com graves impactos no meio ambiente e mesmo na saúde mental das pessoas, fazendo-as acreditar que só são felizes pelo consumo.

Os impactos ambientais e sociais são imensos. A indústria têxtil e de confecções é a segunda mais poluente do mundo. A maneira como é realizado o cultivo e a extração das matérias-primas são nocivos ao planeta. No caso do algodão, há modificação genética e patenteamento das sementes, o que carrega como consequência mais uso de fertilizantes e pesticidas, que poluem solos e rios; e dificuldades para que pequenos agricultores acessem as sementes, fortalecendo apenas grandes corporações. A produção do poliéster é super poluente, demandando 70 milhões de barris de petróleo por ano. E pior, essa fibra demora cerca de 200 anos para se decompor. Algo nada sustentável.

Uma questão que considero super importante é do impacto na vida das pessoas que estão envolvidas na base dessa cadeia de produção, as suas trabalhadoras. Mais de 40 milhões de pessoas trabalham na indústria têxtil no mundo todo e 85% são mulheres. No caso do Brasil, são cerca de 1,5 milhão de postos diretos e 8 milhões de postos de trabalho indiretos. E 75% dessa mão de obra é feminina. O modelo de consumo rápido, em que a cada semana há algo novo no mercado e a preços muito baixos, tem impacto direto na vida dessas mulheres. Muitas vezes, as condições de trabalho são péssimas, os salários são baixíssimos. E, muitas vezes, estamos tão focadas em consumir uma peça por um valor “em conta” que não pensamos em tudo isso e acabamos nos descomprometendo sobre isso.

Daí que o movimento do slow fashion e as discussões em torno de uma moda consciente são tão importantes para mim. Esse é um movimento que vem crescendo de forma consistente. Ainda bem!

A moda consciente é uma proposta para que a gente pense sobre o que consumimos, porquê consumimos, como o produto é produzido, quem o produziu e quais impactos foram gerados daquela produção. E também envolve nós pensarmos sobre como descartamos, ou se descartamos, essas peças. É uma moda totalmente comprometida com valores comunitários, éticos, sustentáveis e com diversidade. A moda consciente demanda de nós, consumidoras, uma ação ativa em relação ao que consumimos, incentivando produções em menor escala, que utilizem o máximo de matérias orgânicas, que pensemos em materiais duráveis e deixemos para trás essa ideia de roupa nova toda semana. Ser uma consumidora ativa significa tomar consciência sobre o que consumimos e o nosso papel nisso tudo.

E o movimento slow fashion vem nesse caminho. Não é só uma negação do fast fashion, mas muito mais. Surgido nos anos 2000, é uma proposta que nos convida a transformar o nosso olhar e a nossa relação com a moda, respeitar o ciclo e o tempo da natureza e que valorizemos a produção local. Uma das questões importantes é da relação de transparência e da confiança a partir da proximidade e conhecimento de todos os agentes envolvidos na produção, a atuação colaborativa e cooperativa entre todos os atores envolvidos nesse ciclo, o reuso, a reciclagem e a personalidade que cada roupa pode ganhar e o prolongamento da vida útil das peças.

Nessa perspectiva, porque estamos falando mesmo sobre um outro modo de pensar sobre nós e o mundo, temos em mente de que moda é composta por escolha e que elas também envolvem investimento em peças atemporais e que pensemos com mais cuidado sobre o que queremos dizer e como queremos representar nossas identidades com as nossas roupas.

Mas, mais do que termos esse trabalho sobre o consumo, o movimento slow fashion também tem forte discussão sobre um comércio justo, sobre condições dignas de trabalho e direitos para os trabalhadores de toda a cadeia produtiva. E, principalmente, em soluções e cooperações de pequenas marcas, estilistas e designers com as costureiras, parte importantíssima nisso tudo.

Historicamente, são as mulheres que produzem tecidos e roupas, que bordam, que costuram, que remendam. Antigamente, essa tarefa se confundia com os afazeres domésticos. Depois, passaram a ser ramos de trabalho de famílias, até que, com a Revolução Industrial, houve uma virada total e a profissionalização dessa produção. As mulheres foram, então, trabalhar em grandes tecelagens, em fábricas. A história de organização do feminismo, está super ligada à luta das mulheres por melhores condições de trabalho nessas indústrias.

A moda consciente e o slow fashion têm a preocupação com o comércio justo, em que nós paguemos o valor justo diante do custo da produção de uma peça de qualidade e que todos os envolvidos sejam remunerados de forma digna e justa. E estamos vendo, com isso, uma valorização dessa profissão ganhando força. Isso impacta diretamente na construção de autonomia econômica das mulheres e seu empoderamento.

O slow fashion também está atrelado em desenvolver uma moda acessível, pois a produção massificada do fast-fashion insere padrões de modelagem que não pensam em vestir todos os tipos de corpos que existem. Quando temos um olhar mais próximo para os nossos consumidores, conseguimos dar acesso para que pessoas de diferentes tamanhos tenham roupas de diferentes estilos e com qualidade. Moda vai além de se vestir, é dar oportunidade de socialização de pessoas, das mais magras às mais gordas, das mais baixas às mais altas, contribuindo também para lutas contra a gordofobia e capacitismo, por exemplo.

É lindo participar dessa transformação. Porque você sabe que está consumindo produtos com qualidade, estabelece uma relação que não é só de troca, mas de total reconhecimento e identidade com os produtores, com as marcas e estilistas e sabe que está contribuindo por um mundo de direitos, respeito e sustentável.

Moda é uma forma de expressão, é ativismo, é expressão política. E acho bem interessante citar que eu não acredito que para termos um consumo de moda consciente trata-se somente sobre comprarmos roupas usadas, mas sim de reverter o olhar para além das vitrines.

O vintage e as roupas de segunda mão protagonizam a maior parte das minhas felizes escolhas quando falamos em consumo de moda. É curioso porque, quando olho pra trás, percebo que isso cresceu comigo, passei a adolescência toda fazendo roupas pra mim e paras minhas amigas na costureira do bairro, ia em feiras tipo mercado mundo mix, comprava em brechós, buscava peças diferentes, novos designers, trocava roupas com as amigas e mal sabia que, assim, também ampliava minha consciência sobre o assunto.

Embora tenha estudado e goste muito de moda, tenha pertencido de várias formas a este universo, a sensação que eu tenho é que eu sempre soube que aquele ritmo acelerado não me tocava, eu não me encaixava. É claro que já passei por todas as fases, anos depois, viajando a trabalho sozinha, morando no exterior, eu era seduzida pelas tendências e comprava bastante em fast fashions, até entender que o ciclo de vida daquelas peças onde eu gastava o dinheiro do meu trabalho não fazia o menor sentido, e assim fui evoluindo, aos poucos, pra forma com que eu consumo hoje em dia.

O lado bonito da moda é que ela é uma expressão artística muito potente pra quem cria, carregada de história e reflexos comportamentais da sociedade, ao mesmo tempo em que é uma ferramenta de expressão muito especial pra quem consome. A forma com que nos vestimos é também o que desejamos expressar pro mundo,  é o nosso cartão de visitas. E aí é que entra a importância de entendermos realmente nosso poder nesse universo e o quão importante pra sociedade e pra natureza é nos apropriarmos verdadeiramente do que consumimos.

 

Texto por:  Mônica Benini, Juliana Borges e Flá Carves

 

FacebookGoogle+Pinterest
em Estilo, Moda
06 mar, 2020

BRECHÓS/VINTAGE SHOPS PELO BRASIL

Oiiiiii!

 

Não é novidade pra quem me acompanha por aqui ou pelo Instagram que o vintage e o second hand fazem parte, de forma bem importante, do meu estilo, da minha forma de enxergar a moda e da maneira como busco me expressar através dela. Levando em conta uma latente preocupação ambiental e uma atenção recorrente com o mundo que pretendo “deixar” pro meu filho, vejo nela uma alternativa bem possível, econômica e exclusiva de deixarmos um impacto melhor nesse nosso planeta, sem deixarmos de cuidar do nosso estilo,  nosso cartão de visitas.

 

Acho importante, contudo, ressaltar a importância de comprarmos de forma consciente mesmo quando compramos de segunda mão… avaliar o guarda roupa e pensar no que realmente precisa antes de fazer uma visita pra algum desses lugares é sempre bem vindo, tá?

 

A verdade é que eu estou bem feliz de postar essa lista colaborativa aqui… aquela  velha história de somar dividindo, né? A maior parte das sugestões desse post vieram de vocês, do post que eu fiz no Instagram pedindo indicações. E quero deixar bem claro que optei por postar aqui no site pra que ele possa ser editado de forma bem prática. A idéia é ouvir os comentários e as sugestões de vocês sempre, pra deixar essa lista aqui cada vez melhor. Portanto, se você tiver algo pra falar ou algum outro brechó queridinho pra indicar, não hesite em deixar aqui nos comentários, tá bom?

 

Desejo bons garimpos e que vocês encontrem lindas preciosidades por aí! 🙂

 

 

 

A

AMPARO DA SERRA – MG
T Bazar

 

ARACAJU– SE
Bazar Baby Marcas

Espaço 0225

 

ASSIS CHATEAUBRIAND – PR
Desapega Brechó

 

ATIBAIA – SP
Brechó Naftalina

 

B

 

BAURU – SP
Vintage Shop

 

BALNEÁRIO CAMBORIÚ – SC
Eu amo Brechó

Quintal Brechó

 

BELO HORIZONTE  – MG

Áurea Brechó

Brechó Belafá

Brechó Brilhantina

Brechó Candinde

Déplié

Duacervo

Eloar Costa Store

Le Petit Brechó (Infantil)

Mania de Brechó

Nc Brechó e Outlet

Roupagem

Santa Brechó

 

BELÉM – PA

Brechó Arte Cria

Brechó BBN

Brechó Marajoara

Brechó Parae

Brechó Stylus

Trend Garimpo

 

BENTO GONÇALVES – RS

Cara de Nova Boutique

 

BIRIGUI – SP
Brechó Doce Jiló

 

BOM DESPACHO – MG

Brechó Retrô


BETIM  – MG
Casa Closet Brechó

 

BEBEDOURO – SP

Lebe Bazar

 

BLUMENAU – SC

Bechó da Tia Lúcia

 

BRASÍLIA – DF 

Acervo Chic Brechó

Ana Zago Boutique Brechó

Bazar Saco Cheio

Brechó Coisa e Tal

Brechó Volunta

Desapeguei Bonito

Peça Rara

Peça Rara

Pretty New

Raffa’s Bazar

Ramblas

 

BRAGANÇA PAULISTA – SP

Brechó Garimpo Urbano

Brechó Bragança

 

C

 

CAMPINAS – SP

A Moda é Brechó

Bazar Sobrapar

Brechózinho da Lu

Cósmica Brechó

Desfiz Bazar

Espaço Green Brechó

La Madame Brechó Europeu

Novo D Novo

Pélvica Brechó

Retrô Brechó

Único Brechó

 

CAMPOS – MG

Desapegos da Fafá

 

CAMPO GRANDE – MS

Big Brechó

 

CARAGUATATUBA – SP

Dona Dayse Brechó

 

 CARATINGA – MG

Bazar Saco Cheio

 

CASCAVEL – PR

Desencantei Bazar
Dona Girafinha Brechó (Infantil)

 

CAJAZEIRAS – PB
Retrama Brechó

 

CONTAGEM – MG
Brechó da Luh

 

CURITIBA – PR

Balaio de Gato

Brechó Luar da Baronesa

Di Dom Brechó

Di Dom Brechó

Lavô tá novo

Libélula

Libélula Brechó

Maria Brechó

Massimo Brechó

Pliss Brechó

Roupa Velha com Bossa Nova

São Francisco

Umbrella

 

CUIABÁ – MT

Arrumadinha Brechó

Bazar Chic (Infantil)

Peça do Baú Brechó

LG Brechó Boutique

 

 

D

 

 

E

 

 

F

 

 

 

FORTALEZA – CE

Brechó da Kaka
Brechó Outra Vez
Bazar Online Fortaleza

Donatila

 

FLORIANÓPOLIS – SC

Brechózices da Varal

Desapegue

I Love Brechó

Maricotice

Recoletta Brechó

Reuse Consumo Consciente

Use de Novo

 

G

 

 

GAMA – DF
Espaço Retrô Brechó

 

GRÃO MOGOL – MG
Varal da Damys

 

GOIÂNIA – GO
Empório Armário
Tão Brechó

 

H

 

 

I

 

ITÚ – SP
Baú da Ordália


INDAIATUBA – SP 

Corbini Brechó

Piccoli Bambini (Infantil)

Pallets Brechó

 

IGREJINHA – RS
Brechó da Kary

 

J

 

JOÃO PESSOA – PB

Dezapegany

 

JOINVILLE – SC

Pirulitando Brechó (Infantil)

Picolli Bambini (Infantil)

 

JUNDIAÍ – SP
O do Brechó

 

L

 

LAGUNA – SC

Brechó a Moda Continua

 

LAVRAS – MG

Santa Gaveta

Santa Gavetinha

 

LONDRINA – PR

5 Av Brechó
LuMaria Brechó (Infantil)

 

LUZIÂNIA – GO
Eu tu Elas Brechó

 

 

M

 

 

MACAÉ – RJ

Oh! Bazar


MACHADINHO D’OESTE – Rondônia

Juju Bazar

 

MACEIÓ – AL

Brechozinho abri meu Closet (online)

 

MANAUS – AM

Do meu para o seu

 

MARINGÁ – PR

Chlloe Brechó
Bazar One More

 

MAIRIPORÃ – SP

Bye Bye Cabide

 

N

 

NATAL – RN

Reuse 84

 

NITERÓI – RJ
Brenda Fashion
Basiquinha Bazar

 

O

OSASCO – SP
Rua da Saudade

P

PARANAGUÁ – PR

Pause Brechó

 

PARAÍBA DO SUL – RJ
Reinventa

 

PALMAS – TO
Reuse Palmas

 

PASSOS – MG
Brechó 301

 

PORTO FERREIRA – SP
Matilda Brechó

 

PETRÓPOLIS – RJ

Bazar Móvel

 

PORTO ALEGRE – RS

2nd Chance

Brechó da Casa

Brechó da Cruz Vermelha

Brechoperk

Brick dos Desapegos ( itinerante)

Casa da Traça

Brechó da Lúcia

 

POUSO ALEGRE – MG

Brechó Cravina Roots

Brechó Cravina Kids (Infantil)

 

 

PIRACICABA – SP

Brechó de Bacana

 

R

 

RIBEIRÃO PRETO – SP

A Gateira Brechó

Brechó da Lia

Desapego Chic

Já foi de lá Brechó

Reart Brechó

Retroq Brechó

 

RECIFE – PE

Brechó da Mikaa

Brechó da Torre

Iaia Brechó

Le Griffe Brechó Boutique

 

RIO DE JANEIRO – RJ

B&L Elite (Infantil)

Brechó da Rizia

Brechó do Casarão

Brechó Kids Ka

Era Dela

Lê Brechê – Brechó Multi Marcas

Personal Brechó

Brechó Madame Jasmine

Quality Brechó

 

RIO DO SUL – SC

Brecholando Brechó

Uh La La Brechó Vintage

 

S

 

SALVADOR – BA

Balaio Chic Brechó

Brechó Manga Rosa

Compritchas

Da Betty

Dorothy Brechó

Petit Bebê Brechó (Infantil)

Sarastro Brechó

Vana Brechó

 

SANTANA DOS MONTES – MG

Brelove

 


SANTA MARIA – RS

Brechó Garagem Mix

Brechó Vó Adelaide

João e Maria Boutique e Brechó (Infantil)

 

 

SÃO CAETANO DO SUL

People Brechó

 

SÃO PAULO – SP

I Need Brechó

A Gente desapega

Arena Baby (Infantil)

A Vovó Tinha

B. Luxo

Bazar Brechó Obra do Berço

Bazar da Maria Luz

Bazar das Meninas

Bem Phyna

Borogodó Brechó

Boutique São Paulo

BreChic Très Chic

Brechó Capricho A Toa

Brechó Chique Bresser

Brechó Coisas da Rô

Brechó Peça Única

Brechó Rebajas

Brechó Respect

Brechó Vó Judith

Brechóvisk

Cabideira Brechó

Casa dos Achados

Das Ami Brooklin Brechó

Daz Roupaz

Etiqueta 12

Frou Frou Vintage

Fundinho Brechó

Gato Bravo Vintage Shop

Las Hermanas Brechó

Luz da Villa

Madá Brecho

Nice Brechó

Toa a Toa Brechó

Toco Sol

Varal do Beco

 

 

SÃO JOÃO DA BOA VISTA – SP

Divas Brechó e Outlet

 

SÃO JOSÉ DOS CAMPOS – SP

Chic Q’ Bonita
Hi – Lo

 

SOROCABA – SP

Casaqueto

Segunda 2 Chance

Vila da Esquina

Vivintage Loja Vintage

 

SÃO JOSÉ – SC

Repense Brechó

Santo Brechó

 

T

 

TAGUATINHA – DF

Brechó Peça Rara

 

TRÊS PONTAS – MG

Brechó das Irmãs

 

 

U

 

UBERLÂNDIA – MG

Camomila Brechó

 

V

 

VARGINHA – MG

Brechó Trafapos

 

VIÇOSA – MG

Cantinho do Bebê (Infantil)

 

VITÓRIA DA CONQUISTA – BA

Brechó Toda Graciosa

O Brechó do Desapego

 

VINHEDO – SP

Madamelinda

 

VITÓRIA  – ES

Balacobaco Brechó

Brechó Tititi

Espaço GND

 

 

 

 

ONLINE

Addams Brechó

Antenadas em Paris Brechó

Bazar das Compulsivas

Bazar das Farmetes

Bazar entre amigas Arapiraca

Bazar online GAAR

Bazar Store

Brechó Ankara

Brechó Bicho Grilo

Brechó da Gata Preta

Brechó da Su

Brechó de POrcelana

Brechó Lokahi

Brechó Maracujá

Brechó Plural

Brechó quer eu pra tu?

Brechuzzi

Circulestilo

Desacervo

Desapega que eu quero

Ecotear

Enjoei

Etiqueta Única

Elétrika Brechó

Farm Family Friends

Gran Brechó Fashion

Mafua Brechó

Moms to Buy (Infantil)

Multimarcas Bazar

Minimal  Fashion Brechó

O Brechó Renove

Oha! Second Chance

Pretas Brechó

Projeto Ovo

Psy Dresser Brechó

Re Stilo Brechó

Recicla Brechó

Relicários de Garimpos

Relookinho

Repita

Re Petit (Infantil)

Retroagir

Reuse Brechó

Rua da Saudade

Telurica Vintage

Trend 2 Box

Troc

Universo dos Panos

Vem e Vai Roupas

 

 

FacebookGoogle+Pinterest