Moda

O que minha carteira tem a dizer

Nem sempre tive a consciência que tenho hoje quanto ao consumo, já fui muito mais consumista e irresponsável. Na verdade, é tudo um processo, um caminho a se percorrer e pequenas atitudes a serem tomadas. O consumo sustentável e consciente é um desafio nesse mundo cada vez mais visual e superficial. Está por todo lado a imposição de que devemos ter isso e aquilo pra nos adequarmos, está na TV, nos jornais, nos outdoors, nas redes sociais e até nas conversas de bar. Precisamos mesmo? É tentador, todo mundo já se sentiu seduzido por uma vitrine, por uma marca, por um produto da moda. Mas é preciso tomar consciência.

Sobre esse assunto, tenho uma história que me marcou, pra dividir com vocês. Certa vez, eu estava precisando de uma carteira nova e adiando o ato de ir ao shopping até o último dia possível – shoppings não são meus lugares preferidos. No meio dessa minha resistência à sair em busca da carteira, apareceu aqui em casa um kit de uma determinada marca e nele tinha o quê? Uma carteira! O único problema é que vinha a “marcona” estampada! Achei uma boa oportunidade pra cancelar a operação shopping e customizar. Reciclar o que já foi produzido e não consumir mais e mais. Com um etiquetador imprimi uma frase que me inspira quanto ao consumo, cobri a marca (desculpaê! rs) e há tempos minha carteira funciona como uma espécie de post-it, toda vez que a pego pra comprar algo, a frase me diz: “pense bem”.

image1

“Compre menos, escolha bem.” (Frase da estilista Vivienne Westwood)

É claro que, de vez em quando, a gente se entrega para o consumo. Quantas vezes a gente comprou coisas por impulso e se perguntou o porquê depois de chegar em casa? Quanto mais a gente compra, mais lixo a gente produz, mais espaço a gente precisa pra armazenar; quanto mais coisas a gente tem em casa, mais energia (não necessariamente boa) se acumula; quanto mais a gente compra, mais a gente quer comprar. Eu ainda estou em um processo, mas hoje acho que vale muito mais a pena comprar poucas e boas peças, à lotar o armário e a casa de coisas de baixa qualidade; pensar muito antes de comprar do que consumir apenas por impulso. Sou a favor dos coringas, das peças multiuso, das cores neutras, do menos que sempre vira mais! Vamos falar sobre isso aqui no blog? Acho que trocar opiniões, compartilhar vivência e dividir experiências é a melhor forma de somarmos.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

19 Comentários

  • Responder Mari 7 de setembro de 2015 at 01:46

    Muito bom tema, texto e consciência!! Também estou em um processo d convivência o qual deveria ter tido a tempos. Mas nunca é tarde!! Parabéns pelo lindo blog!!! Sou fã… Um beijo

    • Responder Mônica Benini 8 de setembro de 2015 at 16:37

      Que alegria, Mari! E nuuunca é tarde mesmo! Sempre é hora de despertar alguma coisinha a mais na nossa consciência, né? Fico muuuito feliz q vc goste daqui… volte sempre, tá? <3 Bjinhos!

  • Responder Bárbara 7 de setembro de 2015 at 20:04

    Bem interessante! Sempre pensei bastante a respeito e é algo no qual ainda preciso melhorar muito na prática. Em tempo, recentemente (hoje?) saiu um documentário no Netflix “The true cost” que ainda não assisti mas é aborda o assunto também. Se assistir, posta pra gente! 🙂

    • Responder Mônica Benini 8 de setembro de 2015 at 16:41

      Oi, Bárbara!
      Tamo junto nessa caminhada, todos nós sempre temos algo em que melhorar, mas ter consciência disso caminhar nessa evolução já tá lindo…de pouco em pouco a gente chega lá!:)
      Assisti uma parte só…assim q acabar comento aqui, pode deixar!
      Bjinhossss

  • Responder Mari de Fortaleza 8 de setembro de 2015 at 11:10

    Que frase bacana. Na verdade, não sou tão consumista, pois não tenho dinheiro pra comprar mesmo.
    Mas vejo muita gente ao meu redor (colegas) comprando cada coisa que eu penso:
    > Nem se eu tivesse dinheiro, gastaria com essa besteira.

    ps: Postei essa tua foto no meu face. Com os devidos créditos.

    • Responder Mônica Benini 8 de setembro de 2015 at 16:41

      À vontade, Mari! Bjinhos! <3

  • Responder Juliana 8 de setembro de 2015 at 23:04

    Olá, Mônica!!!
    Amei seu texto :)))
    Um dia desses eu estava pensando sobre isso e vou até citar o Instagram como exemplo. Olhando os perfis de algumas pessoas vejo como somos levadas a esse consumismo. Eu tive que parar de seguir algumas pessoas pq estava ficando frustrada por não conseguir acompanhar tudo que gostava.
    Hj em dia tudo leva a gnt para esse consumismo exagerado, precisamos ter consciência e lermos sempre textos como os seus. 🙂
    Adorei a idéia da carteira! Vou escrever essa frase e colocar na minha.
    Estarei sempre por aqui!
    Beijos

  • Responder Mariana Pessoa 9 de setembro de 2015 at 14:35

    Oi, Monica! Te sigo no instagram e finalmente consegui parar pra ler teu blog.
    Amei o post! Eu também to nesse processo de ser mais responsável com o que eu consumo.
    Tenho uma indicação: o app Moda Livre, administrado pelo Repórter Brasil, monitora marcas brasileiras de roupas em relação a trabalho escravo, tem algumas notícias e avaliação sobre a marca, de acordo com a conduta de cada uma. É bem legal!
    Vou sempre acompanhar o blog a partir de agora!
    Beijoss

  • Responder Thatyana 9 de setembro de 2015 at 15:30

    Nossa realmente é difícil, a gente se deixa levar muito durante as compras, as vezes nem precisamos daquilo. Eu adotei o método de que para entrar um item novo no guarda-roupa algum velho tem que sair.

  • Responder Katarina Holanda 10 de setembro de 2015 at 12:41

    Oi, Mônica. Eu acompanho e amo seu blog, parabéns pelo conteúdo. 🙂 Estou passando pelo mesmo processo. Comecei com a meta de fazer meu guarda-roupa caber em uma mala por causa de uma mudança e só aí me dei conta da quantidade de coisas que eu tinha e não precisava, ou mesmo que nunca usei. Compartilhei minha experiência no blog, fui limitando cada vez mais às coisas que eu realmente uso e amo.. E que alívio! Tenho tentando fazer isso com o armário, home office, casa, com a vida! Desapegar e colocar um freio no consumismo faz mais bem do que imaginamos no começo. 🙂 Beijo!

  • Responder Ana Paula W Amorim 10 de setembro de 2015 at 15:04

    Toda crise é uma oportunidade tive uma crise financeira que se tornou existencial e consequentemente me fez pensar se eu realmente iria morrer se não tivesse exatamente tudo que eu queria ter e a resposta veio NÃO preciso de tudo que quero. E priorizar o que é importante e esperar pra comprar algo realmente bom se tornou minha maneira de consumir sim às vezes tenho deslizes, mas são menores que antes tinha que consumir sempre em atacado e tenho peças que comprei a mais de um ano e nunca usei é preciso parar e repensar!!

  • Responder Juliana Macedo 14 de setembro de 2015 at 15:39

    Adorei o texto! Está mais do que na hora de repensarmos nossas compras e o quanto elas impactam o meio ambiente. Aquela história de comprar peças baratas que são produzidas na China, no Camboja, no Vietnã, a que preço de verdade? Mão-de-obra escrava? Se cada um fizer a sua parta,se questionar e discutir o tema, a mudança virá pouco a pouco.

  • Responder Marie de Carvalho 15 de setembro de 2015 at 00:50

    Muito bom o texto e compatível com meu comportamento de consumidora.

  • Responder Vi por aí (aka links da semana) | dizlu 15 de setembro de 2015 at 22:10

    […] do consumismo e economizar grana. Inclusive, estou escrevendo um post sobre isso (logo chega). Nesse post, a Monica Benini fala um pouco sobre esse sentimento e sobre a carteira dela. Achei bem […]

  • Responder Jaqueline Machado 19 de setembro de 2015 at 16:19

    Nossa, Mônica! Fiquei uns dias sem ler o seu blog e nunca tinha comentado nada… Na vdd dificilmente comento, mas esse post não teve como… Encantador!!! Descreveu td q preciso no momento e não só preciso, falando em questão financeira, na maior parte das vezes, o consumo acaba camuflado e brindando outras necessidades… Acaba sendo uma forma de fugir da minha vdd, uma bola de neve. Obrigada por sair do obvio q todos os blogs são e falar de uma maneira nitidamente ( isso é bem notório mesmo) autêntica. Sucesso! Sigo aqui escondidinha mas sempre leio rsrs bjos jaque

  • Responder Vanessa Duarte 1 de outubro de 2015 at 11:59

    Bom dia Monica,

    Eu realmente precisava ler esse texto, o menos é tão mais as vezes, né? Qualidade antes de quantidade, repetir sempre pra lembrar. <3 Obrigada por ser inspiração.

    • Responder Mônica Benini 5 de outubro de 2015 at 21:58

      Oi, Vanessa!
      Obrigada vc pelas palavras doces…
      A gente sempre precisa de tão menos do que pensa, né?E com o tempo isso fica mais consciente mesmo…

      Bjinhos!

  • Responder Fernanda Peres 21 de outubro de 2015 at 13:21

    Oi Monica!!

    Texto perfeito pra mim. Vou escrever essa frase em lugares estratégicos: carteira, guarda roupas, proteção de tela do celular… hahaha. Ótimo Texto!!!

  • Responder Fashion Revolution: Quem fez minhas roupas? – Mônica Benini 22 de abril de 2016 at 20:01

    […] É uma tema que eu me interesso MUITO e acho importantíssimo que a gente se preocupe, já falei aqui sobre minha carteira e o que ela diz sobre o assunto e falei também sobre um documentário aqui no […]

  • Responder