Tags de navegação

Monica Benini

em Olhar apurado
26 fev, 2016

Os pássaros de Diana Beltran Herrera

Diana Beltran Herrera é uma colombiana de 28 anos. Começou seus estudando design industrial em Bogotá e depois foi para a Finlândia estudar escultura em cerâmica. Seu fascínio na escultura está em criar obras de arte super realistas que fujam muito pouco da realidade e é com papel que seu trabalho mais impressionante é feito. Diana, que hoje trabalha em Bristol, no Reino Unido, usa seu tempo livre pra criar seu bando de pássaros impressionantemente reais. O trabalho é detalhista e super meticuloso, o resultado é de encher os olhos!

DBH03

DBH06DBH01DBH02DBH05DBH04DBH07

Deve ser terapêutico ver, de pedacinho de papel em pedacinho de papel, os pássaros nascerem e tomarem forma. É ou não é a coisa mais linda?

FacebookGoogle+Pinterest
em Alimentação
15 fev, 2016

Limpando o corpo com DETOX

Vocês também sentem que o ano só começa após o carnaval? Parece que antes dele nós não “pegamos no tranco”, né? Então, essa é a melhor hora de explicar pra vocês o que é a tão famosa limpeza do corpo chamada detox.

              A palavra deriva do termo “destoxificação” que nada mais é do que o processo natural que o corpo realiza diariamente em eliminar as toxinas. Os principais órgãos responsáveis são fígado e intestino, apesar de ocorrer em todo o corpo. Porém, são tantos exageros, hábitos ruins, poluição, estresse e muito mais, que precisamos dar um empurrãozinho de vez em quando para reagirmos melhor e facilitarmos essa eliminação.

              Através da nutrição com alimentos chaves, conseguimos fazer essa limpeza de maneira eficiente. Lembrando que, o correto seria o acompanhamento por um nutricionista, pois, ele saberá a sua real necessidade e fará um planejamento individualizado pra você, certo?

              São tantos benefícios… Dá uma conferida aqui:

  • eliminação de substâncias tóxicas consumidas no dia a dia, como agrotóxicos, conservantes alimentares, álcool, medicamentos, químicos provenientes de produtos de beleza e limpeza, entre outros,
  • tonificação dos órgãos;
  • melhora a nutrição e qualidade da pele, unhas e cabelos;
  • auxílio no aumento da imunidade;
  • auxílio em tratamentos de enxaquecas e sintomas de TPM;
  • diminuição da retenção de líquidos, especialmente em mulheres;
  • redução da compulsão por doces;
  • aumento da vitalidade e energia;
  • atuação na melhora de alergias, problemas de pele, problemas emocionais, de memória e cognitivos.

              Deu vontade, né?

              Deixo aqui pra vocês, duas receitas maravilhosas, com ingredientes que desempenham papeis fundamentais para isso. Muito fácil!

Tônico de açafrão (cúrcuma)

Turmeric-Tonic1

fonte: mommypotamus.com

Ingredientes:

  • 1 xícara de água de coco
  • 1 col chá de açafrão fresco ralado (sem casca)
  • 1 col café rasa de gengibre fresco ralado (sem casca)
  • ½ limão espremido
  • 1 col chá de mel
  • 2 colheres de sopa de salsão fatiado fresco
  • ½ pepino japonês
  • 1 pitada de sal do himalaia (sal rosa)
  • 1 pitada de pimenta do reino moída na hora

Preparo: bata todos os ingredientes, muito bem, e tome em seguida. Ideal em jejum, pela manhã.

Suco Rosa

sucorosa

fonte: scifighting.com

Ingredientes:

  • 1 punhado de morangos congelados
  • 1 beterraba crua , descascadas
  • 2 colheres de sopa de bagas de goji secas , opcional
  • 1 colhere de sopa sementes de chia
  • 1 col café de gengibre fresco ralado
  • 1 e ½ copo de água natural

Preparo: bata todos os ingredientes, muito bem, e tome em seguida. Ideal em jejum, pela manhã.

É muito importante que os ingredientes sejam orgânicos, pois queremos eliminar as toxinas e não ingeri-las, certo?

Gostaram das dicas? Compartilhe com a gente!

 

 

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

FacebookGoogle+Pinterest
em Viagem
31 jan, 2016

Meu amor por Tulum

Tulum é uma cidade exótica, especialmente charmosa pelas muralhas que os maias construíram pra proteger o território que, durante a civilização maia (em torno de 1000 a 250 a.C) era uma cidade portuária e por isso tinha um posicionamento estratégico pra se defender das tribos inimigas e que hoje, em ruínas, tornam Tulum uma das cidades mais interessantes do México e um dos meus lugares favoritos no mundo. A 128 km ao sul de Cancún, Tulum fica na Riviera Maya e pertence à península de Yucatán. Ao sul das ruínas, começa uma praia que se estende por mais de 20km, até a Reserva Ecológica de Sian Ka’an.

tulum01

Eu amo o estilo de Tulum porque tem uma pegada hippie, mas mesmo assim tem certa infra-estrutura. É como se fosse o melhor de dois mundos…Aulas de yoga, cenotes incríveis, céu azul, o Rio Secreto, …IMG_2555

Tulum está dividida em duas partes bem distintas. Às margens da rodovia que liga Tulum à Cancún encontra-se o pueblo, a cidadezinha onde vivem todos os locais, que fica mais distante da praia e tem preços bem mais em conta. E na estrada que fica paralela ao mar, fica a Tulum mais turística, cheia de lugares descolados. Muitos europeus acabaram não indo embora de lá depois de uma ida a passeio e, então, abriram restaurantes incríveis e algumas lojinhas super cool, todos cercados pela natureza singular daquele lugar. Isso foi moldando um perfil muito peculiar à cidade que se manteve simples apesar da influência européia. Todo mundo de pés descalços, andando de bike e em conexão com a natureza.

tulum02

Eu fui esse ano e fiquei BEM surpresa com a evolução e o crescimento da cidade. Os restaurantes não eram tão refinados e nem tão variados, o público também é bem maior hoje, costumava ver a cidade quase vazia…Espero que nada disso comprometa a identidade forte de Tulum que é o que eu mais amo. Por enquanto, tudo continua praticamente como era… Tulum continua atraindo um público bem específico, que realmente se identifica com o estilo do lugar.

544761_10151224350199660_1909230934_n

É impossível não se apaixonar pela areia branca, o mar azul (da cor da turmalina paraíba), a hospitalidade dos mexicanos e as ruínas pesando na paisagem leve. A data exata de descobrimento não é muito certa, mas estima-se que foi por volta do ano 584. Dá pra imaginar o tanto de história que habita essa cidade? É fascinante! Algumas ruínas maias não permitem o acesso de turistas, mas outras como a Casa Del Cenote, nos permitem viajar no tempo… É uma gruta com tumba, com pequenos templos nos penhascos e, no alto da colina, o Templo Del Dios Descendente. A divindade, esculpida de cabeça para baixo, representa Dios Abeja, fornecedor de mel, associado ao planeta Vênus. Alguns outros espaços das construções maias são reservadas apenas pra arqueólogos, historiadores, governantes, antropólogos e religiosos.

6227_10151221898769660_1718576716_n

Tenho um carinho especial pelo México por ter vivido lá, esse deve ser o primeiro de uma série de posts sobre o país, vou voltar pra falar de outros lugares, outras dicas e outras experiências mexicanas pra vocês.

Já estou ansiosa pra contar mais sobre esse país LINDO pra vocês.

 

FacebookGoogle+Pinterest
em Olhar apurado
24 jan, 2016

Os bordados de Danielle Clough

Nascida e criada em Cape Town, na África do Sul, Danielle Clough é conhecida como Dee, já que odeia o nome “Dani”. Formada em direção de arte e design gráfico, Dee direcionou sua carreira para as artes visuais e design digital. Ela, além de designer, é fotógrafa, DJ e ainda borda. Bom, o bordado que aparece por último nas qualificações é o que eu mais AMO no meio de tantos talentos e preciso dividir essa lindeza com vocês!

Dee e o retrato feito para a exposição Welcome to my Garden em 2015

Dee e o retrato feito para a exposição “Welcome to my Garden” em 2015

DC01

“What a racket”: série INCRÍVEL de bordados em raquetes.

Pingentes bordados.

Pingentes bordados.

"Dom": bordado feito a partir do retrato que ela mesma tirou.

“Dom”: bordado feito a partir do retrato que ela mesma tirou.

Aparentemente Dee também ama caveiras, podemos ser amigas.

Aparentemente Dee também ama caveiras, podemos ser amigas.

Duas vezes Steve Zissou, personagem icônico de Wes Anderson.

Duas vezes Steve Zissou, personagem icônico de Wes Anderson.

Apaixonante, né?

FacebookGoogle+Pinterest
em Olhar apurado, Viagem
23 nov, 2015

A luz da Califórnia e o cocar australiano

Hoje vou dividir com vocês umas fotos que tenho muito carinho! Estávamos de férias na Califórnia, eu e meu namorado, hoje marido! A gente já tinha a ideia de fazer umas fotos pra aproveitar a luz de lá que é uma das mais lindas do mundo na nossa opinião.

Já há algum tempo eu procurava um cocar, cheguei a procurar na internet, mas não quis arriscar comprar algo tão cheio de detalhes sem ver de perto. Um dia na nossa viagem, eu estava caminhando pela Abbot Kinney em Los Angeles e acabei encontrando um lindo cocar, de índios australianos, numa loja super descolada de lá! Era a oportunidade perfeita pra fazer nossa sessão de fotos, o cocar é tão lindo que parece uma jóia.

India05

India07

Um amigo nosso que mora na Califórnia nos ajudou e dirigimos por um tempo pra fora do estado pra encontrar um lugar que tínhamos visto no Google Maps e parecia ser a locação perfeita. O Ju foi o fotógrafo (sempre meu favorito) e o Marcelinho, amigo nosso e padrinho de casamento, fez a assistência. Assim fizemos uma das sessões de fotos que mais gosto!

India04

India02

India03

Com esse fotógrafo e essa luz, o resultado é garantido, né?

FacebookGoogle+Pinterest
em Alimentação
13 nov, 2015

I ? NUTS!

Homemade-Cashew-Nut-Butter-4

Castanha de caju, do Brasil, amêndoa, avelã, barú, noz, pecã, macadâmia, pistache, pinhão, amendoim, semente de gergelim, girassol, abóbora… E não para por aí! Todas essas frutas oleaginosas e sementes decidiram ficar de vez em nossas vidas. Comer uma castanha do pará por dia, já era regra nacional, agora, comer uma colher de sobremesa de pastas de castanhas já virou desejo de todos.

Mas por quê?

As castanhas e sementes são importantes fontes de nutrientes e trazem vários benefícios à saúde, como gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, fibras, proteínas, sais minerais (potássio, cálcio, magnésio), antioxidantes (selênio e vitamina E), vitaminas (ácido fólico, vitamina E, niacina), fitoquímicos (carotenoides, flavonoides, e fitosteróis). Apesar de ter alto valor energético, em virtude da composição de ácidos graxos, as oleaginosas podem influenciar beneficamente no bem estar e equilíbrio do seu corpo.

Imagine que em uma porção você recebe uma dose “anti tudo” (risos). Olha só: os fitoquímicos encontrados nas frutas oleaginosas têm sido associados às propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, anti-proliferativas, antivirais, e assim vai! Isso porque eu nem disse que elas também reduzem o colesterol ruim, riscos de câncer e doenças cardíacas (#omg)!

Nossa mãe terra é tão sábia, não é mesmo?

Photography-Nuts-Macro-Hi-Res-Wallpaper-2560x1600

Já percebeu que essa noz é muito parecida com um de nossos órgãos? Sim, o cérebro! E, magicamente, ele é muito beneficiado quando a consumimos.

Mas, nem tudo são flores. O consumo das oleaginosas e sementes também deve ser equilibrado e requer alguns cuidados. Assim como outros grãos, o ideal é que sejam colocadas de molho por pelo menos 4 horas antes do consumo, pois assim conseguimos retirar alguns fatores antinutricionais que elas contêm. Não podemos ultrapassar as quantidades recomendadas, de preferência por um nutricionista, porque o excesso também ultrapassa as quantidades de que o nosso corpo precisa. Coma poucas unidades de cada!

Uma dica é usar pastas de castanhas, sem açúcar simples, puras ou com açúcar de coco, cacau ou temperos salgados. Pode-se acrescentar junto às frutas do café da manhã, por cima de panquecas, recheio de tapiocas, cobertura de biscoitos salgados e de arroz, cobertura ou recheio de bolos integrais. Ou, ousar um pouco mais.

Docinhos enérgicos:

@gkstories

@gkstories

Base para tortinhas doces:

Vegan_apple_tartlets_01

Bolos:

Raw_Brownies_1

Molho branco:

mynewroots.org

mynewroots.org

Pra ficar mais fácil, deixo aqui as minhas sugestões de marcas ótimas de pastas prontas que existem no mercado:

Gostaram? Na próxima, que tal uma receita de tortinha crua com castanhas?

carolsign2

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

FacebookGoogle+Pinterest
em Opinião
04 nov, 2015

Por que devemos todas ser feministas.

Acho que nunca estivemos em uma fase onde o feminismo estivesse tanto em pauta quanto a que estamos vivendo agora. São projetos de lei que pareceria piada se não parecessem pesadelos, crianças sendo vítimas de pedofilia em rede nacional, é uma falta de respeito que não temos nem como medir. Aí, de repente, num final de semana aparentemente comum para adultos de 30 anos como eu, milhões de jovens estão em uma cadeira com um papel na frente sendo motivados a pensar sobre a violência contra mulher… Feminismo no ENEM! Quem diria? Aí vem uma enxurrada de textos, depoimentos e gritos de “basta!” sendo compartilhados aos montes nas redes sociais e ecoando pra fora da tela. Eu entro nesse coro de peito aberto!

Sempre pendi mais pro lado feminista, sempre acreditei no poder da mulher. Eu fui a adolescente que questionava, que se indignava, que respondia cantadas na rua com uma educação nem sempre compatível à que recebi da minha mãe, é que quando a gente é desrespeitada, algumas coisas ficam de lado nas nossas reações impulsivas. Eu fui criada com minha mãe repetindo, como um mantra, que eu deveria me tornar uma mulher independente – e forte. No entanto, todo esse discurso não fez com que eu me sentisse violentada, desrespeitada e abusada durante a vida toda, até mesmo porque todo esse desrespeito que sofremos se encontra mascarado no nosso cotidiano e a gente precisa parar e olhar pra si pra conseguir enxergar que o que achamos ser normal, na verdade, de normal não tem nada.

Sofri abuso quando vivenciei homens agredindo mulheres fisicamente, abusando da força. Sofri abuso em todas as vezes que as pessoas próximas a mim me pediram pra não colocar mais o dedo na cara daquele homem na rua que me desrespeitava (tive o prazer de fazer isso algumas várias vezes). Abuso também sofri quando senti uma mão sendo passada em mim sem meu consentimento no metrô. Sofri abuso todas as vezes que fiquei escondidinha no canto da balada pra fugir de homens bêbados passando dos limites. Me senti abusada todas as vezes que minhas amigas ficaram envergonhadas por eu responder aquele cara que falava “gracinhas” ao passar de carro por nós na rua, mesmo eu sabendo que minha resposta não passava de um grito de uma mulher cansada com a falta de respeito diária. Sofro abuso ao sentir medo de andar sozinha à noite, ao me intimidar ao entrar num taxi com um motorista homem. Sofro abuso quando sinto que preciso cruzar a rua pra evitar ouvir os comentários maliciosos do grupo de homens que vejo na calçada. Sofro abuso quando subo o volume dos fones de ouvido pra não ouvir nada do que falam pra mim. É abuso quando preciso amarrar alguma coisa na cintura pra não deixar minha bunda à mostra quando uso legging. É abusivo a desproporcionalidade salarial que existe entre homem e mulher. É abuso quando vejo a discriminação em relação às tarefas domésticas, quem disse que é só coisa de mulher? Cada uma dessas coisas, cada um desses desrespeitos quase diários deixam marcas eternas em nós. Eu, sinceramente, não consigo entender a maldade doente que existe nos homens que sentem prazer em nos deixar mal, seja com uma palavra, um gesto ou por deixar claro que está nos enxergando como um pedaço de bife.

Eu me sinto até mal por generalizar, por fazer parecer aqui que todos os homens são iguais, sendo que eu convivo com homens maravilhosos e cheios de respeito, mas não vejo outra forma pra falarmos disso, então desculpe-me. Cansamos de ser silenciadas, cansamos da cultura, opressora e eu acho que, finalmente, as pessoas começaram a enxergar o feminismo da maneira como ele deve ser enxergado, como uma luta por igualdade, respeito, liberdade de ir e vir, e não como um desejo de sermos maiores e mais fortes que os homens, porque não se trata disso. Não é uma guerra entre gêneros, muito pelo contrário.

Então, enquanto houver necessidade de entoar todos esses gritos, eu vou desejar profundamente que eles sejam feitos, que não nos falte mais voz e força. Porque feminismo não é ameaça, não é exclusivo para mulheres, é uma semente preciosa para colocarmos na cabeça dos nossos filhos… eu tenho certeza de que um mundo melhor depende também de sermos todos feministas. Vamos nessa, manas?

Não sei a autoria, mas encontrei no Pinterest e acho perfeito que a gente esclareça as diferenças. Não odeie o feminismo pelo que ele não é.

Não sei a autoria, mas encontrei no Pinterest e acho perfeito que a gente esclareça as diferenças. Não odeie o feminismo pelo que ele não é.

FacebookGoogle+Pinterest
em Alimentação
18 out, 2015

Que tal um smoothie?

Fonte: Green Kitchen Stories

Essa bebidinha gelada, feita à base de frutas, iogurtes, leites vegetais e muito gelo, vem conquistando os nossos corações. Não é? De origem californiana, mas que já é totalmente popularizado, os smoothies foram transformados em versões cada vez mais saudáveis e saborosas.

A ideia é agregar ingredientes nutritivos no preparo, para que você possa inseri-lo em seu dia a dia como café da manhã, lanches intermediários, pré e pós treinos.

Use sempre algumas pedras de gelos, à seu gosto, frutas congeladas (banana, biomassa, morango, frutas vermelhas, manga), leite vegetal (arroz, castanhas, amêndoas, inhame, coco e quinoa) ou água de coco, superfoods em pó (matchá, spirulina, clorella, maca peruana, cacau puro, açaí), proteínas vegetais (à base de arroz, ervilha e batata), frutas secas (tâmaras, ameixas, damascos, gojiberries), termogênicos naturais (gengibre, canela, pimenta rosa), fibras (farinha de coco, farinha de linhaça, aveia em flocos finos, farinha de maracujá) e sementes (chia, linhaça, hemp seeds)… Deu pra imaginar a explosão de nutrientes, sabor e saciedade? (Risos)

Escolhendo alguns ingredientes, você já consegue fazer!

Imagem inspiradora: nutritionstripped.com

Imagem inspiradora: nutritionstripped.com

Smoothie de banana e cacau

Ingredientes:

  • 3/4 (ou 1) xícara de leite de amêndoas
  • 1 banana nanica (ou banana maçã) bem madura congelada
  • 3 cubos de gelo
  • 1 tâmara seca sem caroço
  • 1 colher de café rasa de cacau em pó
  • 1 colher de café de farinha de linhaça
  • Canela em pó

Preparo: Bata todos os ingredientes, exceto a canela, em um liquidificador até ficar cremoso à seu gosto. Coloque em um copo ou garrafinha e finalize com canela em pó.

As crianças também vão amar!

Imagem inspiradora: nutritionstripped.com

Imagem inspiradora: nutritionstripped.com

Smoothie de laranja e gergelim

Ingredientes:

  • 2 ou 3 colheres de sopa de gergelim sem sal (deixados de molho de um dia para o outro)
  • 1 laranja descascada cortada em pedaços
  • 1 copo de água gelada, ou água de coco
  • 3 cubos de gelo
  • 4 ou 5 tâmaras desidratadas sem caroço (deixadas de molho por 2 horas)
  • 1 colher de chá de canela em pó, ou gengibre
  • ½ xícara de frutas vermelhas congeladas

Preparo: Escorra a água do gergelim e das tâmaras. Despeje todos os ingredientes no liquidificador, exceto as frutas vermelhas, e bata bem. Em um mixer, bata as frutas vermelhas até ficar em consistência de “geleia”. Em um copo, adicione primeiro as frutas vermelhas batidas e depois o conteúdo do liquidificador. Se desejar, finalize com sementes de chia!

Ficaram inspirados?

Invente o seu smoothie e compartilhe com a gente! #quetalumsmoothie

carolsign2

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

FacebookGoogle+Pinterest
em Olhar apurado
05 out, 2015

Francesca Woodman, a garota interrompida

Francesca Woodman nasceu em  abril de 1958 e morreu apenas 22 anos depois, em janeiro de 1981. Fotografias em preto e branco com corpos femininos, longas exposições e um embaralhamento intrigante marcaram a breve obra dessa fotógrafa americana que suicidou-se e, após isso, teve seu trabalho popularizado ao redor do mundo.

E1

FW02

Os rostos sempre confusos ou encobertos, a falta de elementos estáticos e um enquadramento ousado, é essa mistura que causa grande curiosidade das pessoas sobre a obra de Woodman, seus autorretratos eram frequentes, mas ainda há certa confusão em separá-los das fotografias que ela fazia de suas amigas, o vulto causado pelas longas exposições dão ar permanentemente misterioso, obscuro e curioso…

FW01

Seu talento ganhou maior notoriedade ao redor do mundo após se jogar da janela de seu estúdio. Seu trabalho foi motivo de exposições em muitos países, inclusive no Brasil, em 2012. Olhando a obra de Francesca, fica a impressão de que ela sempre teve uma relação próxima com a morte. Fotógrafa precoce, começou aos 13 anos e deixou um histórico de 8 anos de registros que eu, particularmente, admiro muito.


Untitled design (1)

woodman_francesca_2009_82_1

A impressão que dá é que ela tentava muito falar alguma coisa através das fotografias, como se pedisse ajuda… Infelizmente ninguém interpretou corretamente em tempo.

Tem gostado daqui? Já curtiu a página? o/

FacebookGoogle+Pinterest