Tags de navegação

obra

Fotografia, Sem categoria

Francesca Woodman, a garota interrompida

Francesca Woodman nasceu em  abril de 1958 e morreu apenas 22 anos depois, em janeiro de 1981. Fotografias em preto e branco com corpos femininos, longas exposições e um embaralhamento intrigante marcaram a breve obra dessa fotógrafa americana que suicidou-se e, após isso, teve seu trabalho popularizado ao redor do mundo.

E1

FW02

Os rostos sempre confusos ou encobertos, a falta de elementos estáticos e um enquadramento ousado, é essa mistura que causa grande curiosidade das pessoas sobre a obra de Woodman, seus autorretratos eram frequentes, mas ainda há certa confusão em separá-los das fotografias que ela fazia de suas amigas, o vulto causado pelas longas exposições dão ar permanentemente misterioso, obscuro e curioso…

FW01

Seu talento ganhou maior notoriedade ao redor do mundo após se jogar da janela de seu estúdio. Seu trabalho foi motivo de exposições em muitos países, inclusive no Brasil, em 2012. Olhando a obra de Francesca, fica a impressão de que ela sempre teve uma relação próxima com a morte. Fotógrafa precoce, começou aos 13 anos e deixou um histórico de 8 anos de registros que eu, particularmente, admiro muito.


Untitled design (1)

woodman_francesca_2009_82_1

A impressão que dá é que ela tentava muito falar alguma coisa através das fotografias, como se pedisse ajuda… Infelizmente ninguém interpretou corretamente em tempo.

Tem gostado daqui? Já curtiu a página? o/

Arquitetura

Tadao Ando e sua arquitetura autodidata

Tadao Ando é um arquiteto peculiar, a começar pelo fato de que ele nunca se formou numa faculdade de arquitetura. O japonês de Osaka, de 73 anos, é autodidata e antes de se tornar um arquiteto foi caminhoneiro e lutador de boxe. Estudou arquitetura e desenho de interiores por correspondência! É claro que com uma história nada convencional, não podíamos esperar de Tadao um trabalho clichê, né? Em 1969 ele fundou sua própria empresa de arquitetura e ao longo dos anos coleciona prêmios – aqui vale uma ressalva: em 1995 ele recebeu o Prêmio Pritzker (o Oscar dos arquitetos) e doou os cem mil dólares para os órfãos do terremoto de Kobe.

Foi depois de seu primeiro trabalho, um bar de 50 metros quadrados, que ele acreditou ter encontrado um caminho para sua vida profissional. A conquista do primeiro projeto foi intermediada por um amigo dele que estava um pouco preocupado com a falta de trabalho de Tadao. Foi aos 20 anos, após ter acesso ao trabalho de Le Corbusier, mestre da arquitetura contemporânea que se convenceu de que essa era sua vocação.

Naoshima Contemporary Art Museum

Recortes estratégicos para aproveitamento da luz natural, o envolvimento com a natureza, as linhas retas e muito concreto bruto marcam as obras de Tadao, que se propõe a fazer uma arquitetura extremamente sensorial, introspectiva e de uma sutileza sem fim, apoderando-se de poucos elementos de construção.

Os princípios seguidos por Tadao são os da estética wabi-sabi (surgiu no Japão durante o século XVI), que faz uma clara oposição à riqueza e ao luxo emergentes. Está intimamente ligada ao Budismo Zen. Na verdade, wabi sabi é um olhar, uma maneira de “ver”as coisas através de uma ótica de simplicidade, naturalidade e aceitação da realidade; é aceitar a beleza que mora nas coisas imperfeitas e incompletas. (lindo, né?)

Arquitetura linda, poética, expressiva, inspiradora…obrigada, Tadao!