Alimentação

Um doce retorno.

A pausa foi (e está sendo) necessária e enriquecedora. Me sinto privilegiada – e muito grata – por ter a chance de sentar na arquibancada da minha vida pra observar tudo que plantei até hoje. Respirar fundo, mergulhar pra dentro de mim e entender melhor o caminho que eu desejo seguir. Entender o que fala mais profundamente com meu coração, porque pra mim – e aqui me isento da preocupação de parecer piegas – a vida só faz sentido quando vivida com o coração… Sabe aquela coisa de colocar (c)alma no que fazemos? Pois então, é disso que eu falo.

Desde o meu último post aqui informando da pausa, muitas coisas mudaram. Tô ainda encontrando os jogadores certos pra colocar meu time em campo e isso se mostrou ser uma tarefa mais difícil do que eu imaginava ser. Mas acredito que, passinho a passinho, chegarei onde quero chegar. A minha vontade inicial era de só voltar a escrever quando tudo estivesse reformulado, de cara nova, fresco, com uma roupagem e um conteúdo melhor ainda pra vocês, mas a verdade é que eu não aguento mais esperar. Os caracteres do Instagram se tornaram pequenos e não mais suficientes e eu sinto, frequentemente, um desejo por compartilhar aqui as coisas que venho vivendo. Além disso, me emociono a cada mensagem fofa que eu recebo de vocês pedindo pra voltar e então, fazendo jus ao disse no início deste texto, preciso seguir o que meu coração têm me falado. Sei que vocês entenderão minha ânsia por aparecer novamente por aqui e terão paciência pra esperar pelas novidades que virão a seguir. Enquanto isso, informo que voltei! Por enquanto no mesmo formato que vocês já conhecem bem, mas cheia de coisa especial pra compartilhar.

Não tenho nem palavras pra agradecer cada coração que me lê do outro lado e não consigo nem acreditar no tanto de carinho que recebo de vocês! OBRIGADA! <3 <3

OBS: Pode ser que, por enquanto, a periodicidade não seja a coisa mais exemplar desse mundo, mas resolvi deixar meu perfeccionismo um pouquinho de lado. Assim, deixarei vocês saberem por Instagram e Facebook quando surgirem novos textos por aqui, mas mesmo assim não deixem de fazer uma visitinha vez ou outra! Vocês me deixam muito feliz!

Pra marcar essa doce volta, vou compartilhar aqui uma receitinha que preparei na semana passada. Culinária têm se revelado, a cada dia mais, um grande prazer. Espero que vocês raspem o prato, assim como nós fizemos aqui em casa. Depois me contem se gostaram da receita, e se vocês gostam da idéia de eu compartilhar minhas aventuras na cozinha por aqui!

 

PANQUECA DE MIRTILO (BLUEBERRY) E AMÊNDOA

Ingredientes:

  • 6 colheres (sopa) de farinha de arroz integral – pode usar a farinha da sua preferência
  • 4 colheres (sopa) de farinha de amêndoa – ou amêndoa bem triturada
  • 1 colher (sopa) de açúcar mascavo
  • 1/2 colher (chá) de fermento em pó
  • 1 pitada de sal
  • 2 ovos orgânicos
  • 120 ml de leite de coco – pode usar mais, se quiser que a massa fique mais líquida
  • 2 colheres (chá) de azeite de oliva ou manteiga ghee
  • mirtilo (blueberry) na quantidade que vc desejar – eu usei congelado, que era o que tinha em casa, mas com mirtilo fresco fica ainda mais gostoso 😉
  • melado de cana

Modo de fazer:

Começe deixando seu forno pré-aquecido, numa temperatura média de 120 graus, pra ir guardando as panquecas assim que elas forem ficando prontas. Bata no liquidificador o leite de coco, os ovos, a farinha de arroz, a farinha de amêndoa, o açúcar, o fermento e o sal até a mistura ficar homogênea.   Retire do liquidificador e misture os mirtilos. Com cuidado, despeje a massa na frigideira, deixando a panqueca do tamanho que você desejar. Doure dos dois lados. Sirva-as mornas, com melado de cana, mel, sorvete ou o que você desejar – e sua criatividade permitir. É possível substituir o mirtilo por outra fruta de sua preferência. Bom proveito!

PanquecaMirtilo-1

 

PanquecaMirtilo-2

 

PanquecaMirtilo-3

 

Beijos (felizes) de luz no coração de vocês! Até logo!

M. B.

Um momento de pausa

Foto: Gustavo Zylbersztajn para Monica Benini

 

Quando nos colocamos como aprendizes da nossa própria vida, vamos compondo nossa bagagem com coisas que nos fazem crescer e evoluir. De tempos em tempos, vamos aumentando essa bagagem, acumulando experiências, sonhos, conhecimentos, vontades, inspirações….

A vida anda, as coisas mudam, as nossas certezas também. Hoje me vejo numa situação que me deixa muito feliz. Como já mencionei no about aqui do blog, a vontade de me tornar uma designer de joias existe desde muito nova, desde quando combinar miçangas num fio era o máximo que eu sabia fazer.

Confesso que se contasse para aquela Monica sonhadora – e ainda pertencente a uma era mais analógica – que um dia ela teria um canal direto de comunicação com milhares de pessoas, talvez ela jamais acreditaria. E aqui estou eu, escrevendo para vocês com todo o meu coração para comunicar que um mar de coisas lindas está por vir.

Pulsa em mim a vontade de movimentar o que está inerte, de melhorar o que eu venho fazendo, de fazer mais. Há pouco mais de três anos, decidi intensificar uma pesquisa – pessoal e intelectual – em busca desse sonho antigo. Empolgada, coloquei meu coração e me lancei num universo encantador que parece não ter fim, que me surpreende a cada passo que arrisco, que me surpreende toda vez que fecho os olhos e abro meu coração.

Foram muitas noites em claro e muitas experiências, horas de estudo, viagens, bate papos, entre outras coisas que não caberiam aqui, mas que enriqueceram minha alma. Me preparei profundamente e, diante disso, me sinto pronta para jogar para o mundo, de forma ainda mais completa, as verdades que existem aqui dentro, mesmo tendo plena consciência de que nessa vida eu sou uma eterna aprendiz e que sempre há muito o que evoluir.

Provavelmente você deve estar se perguntando sobre a razão desse texto. Este é o ponto! Resolvi escrevê-lo para comunicar que em breve todas essas coisas novas, para as quais estive me preparando, estarão prontas para serem apresentadas para vocês.

Sendo assim, escolhi dar uma pequena pausa em meu blog para que possamos, eu e minha equipe, organizar o tão sonhado lançamento. Por um pequeno período, o blog não será atualizado, mas continuaremos postando na página do Facebook e, principalmente, no Instagram! Não deixem de acompanhar as novidades e os bastidores até o lançamento.

Eu não tenho nem palavras para expressar a gratidão que eu sinto por ter vocês me acompanhando aqui. Obrigada a cada coração que me lê, obrigada pelas palavras tão doces que vocês me deram até hoje, prometo voltar ainda melhor. Por mim, por vocês, para gente! E espero que esse nosso encontro continue acontecendo, vocês me deixam ainda mais feliz.

Para comemorar este momento tão especial nessa longa caminhada, preparamos um presentinho para vocês, em parceria com o DJ Júlio Torres: uma playlist para inspirar e dar “um gostinho”; do que está vindo por aí. Espero que gostem e dancem comigo! Até breve! <3

Arquitetura

A atemporalidade de Paulo Mendes da Rocha

O capixaba Paulo Mendes da Rocha é um arquiteto e urbanista de 87 anos formado pelo Mackenzie e que tem obras super relevantes em seu currículo. A arquitetura, ao meu ver, é uma arte… É um prato cheio para os amantes do design como eu, por isso é inevitável que esse seja um assunto recorrente por aqui.  Em 2006, quando Oscar Niemeyer era o único brasileiro a ter recebido o Pritzker Prize (o Oscar da arquitetura), foi a vez de Mendes da Rocha ser reconhecido com o prêmio máximo da sua área.

Na época, o júri defendeu a premiação alegando que Paulo tem uma grande preocupação em atender as necessidades estéticas e sociais do homem através da arquitetura. Sua especialidade é revitalizar espaços urbanos, lidando com uma extrema responsabilidade sobre os usuários do espaço planejado e sobre a sociedade com um todo.

Paulo Mendes da Rocha

Paulo Mendes da Rocha

A Pinacoteca de São Paulo é um dos meus lugares preferidos na cidade e a intervenção arquitetônica no prédio nos anos 2000, rendeu ao capixaba o prêmio Mies van der Rohe. Quem já foi, entende quando digo que é um dos meus lugares favoritos. É um lugar cuidadosamente desenhado para receber centenas de pessoas diariamente. Com muita luz natural, a Pinacoteca é extremamente aconchegante e fotogênica, impossível entrar lá e não clicar.

Pina 03

Pina 02

pina 01

Outra obra muito popular em São Paulo é o Museu Brasileiro da Escultura, o MuBE que fica do lado do MIS. O prédio, em concreto aparente, tem áreas abaixo do nível da calçada, o que proporciona um silêncio atípico na região e um desenho que lembra uma arena. O desenho do MuBE reafirma a especialidade de Mendes da Rocha de desenvolver soluções criativas, mas harmoniosas com a paisagem. Aliás, curiosidade: no MuBE tem um jardim projetado pelo Burle Marx (já falei dele aqui).

MuBE 01

MuBE 03

MuBE 02

A Praça do Patriarca, no centro histórico de São Paulo, é uma das mais antigas da cidade. Construída em 1912, foi revitalizada anos depois e o pórtico de Mendes da Rocha é parte da revitalização que marcou o centro de São Paulo em 1992.

Portico metalico concebido pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha na Praca Patriarca, em Sao Paulo. O arquiteto foi o vencedor do Prêmio Pritzker 2006, o mais importante da arquitetura mundial. / Patriarca Square, Sao Paulo SP, Brazil. The gateway to Prestes Maia gallery, with a large suspended canopy, by Paulo Mendes da Rocha, a Brazilian architect, honored with the Mies van der Rohe Prize (2000) and the Pritzker Prize (2006)

fonte: argosfoto.com.br

Outros importantes projetos do arquiteto:

Estádio Serra Dourada, cartão postal de Goiania

Estádio Serra Dourada, cartão postal de Goiania

Cais das Artes - Copia

Cais das Artes em Vitória (ES), sua cidade natal

Cias das Artes

Cais das Artes

Paulo é, até hoje, muito procurado para projetos ousados e reformas e revitalizações de obras antigas… Em maio deste ano, aos 87 anos de idade, Paulo recebeu  o prêmio Leão de Ouro da Bienal de Veneza pela atemporalidade da sua arquitetura. Mesmo décadas depois de construídos, seus projetos resistem aos avanços do tempo e das tendência. Considerado um profissional desafiador, inconformado, apaixonado e realista, sua visão estética adapta-se a todas as flutuações de tendências. Um visionário arquitetônico que merece todas as honras e méritos.

Filmes

Divertida Mente, uma animação sobre a mente humana

Acho impressionante como os estúdios de animação conseguem fazer produções que entretêm crianças e fascinam adultos de formas diferentes. Uma das animações mais recentes que me deixou encantada vou Divertida Mente (ou inside out, tradução literal “de dentro pra fora”). Não sei se todo mundo já viu, mas quem não viu, mesmo que seja resistente aos desenhos animados, recomendo que tire um tempinho pra ver.

rich_insideout_footer_33eb9119

A Pixar teve a grande ideia de personificar as emoções e o filme se passa dentro da cabeça de uma menina (Riley) e os personagens principais são Alegria, Tristeza, Medo, Nojo e Raiva. Quem guia Riley  é a Alegria, a mente da menininha está sempre buscando a Alegria que acaba tomando as rédeas das emoções e balizando as decisões que Riley toma e, consequentemente, está sempre em guerra com as outras emoções, ela é a grande chefe da mente… A que armazena os sonhos e as lembranças. Quando a família de Riley decide se mudar de cidade, a mente e os personagens entram em crise. As memórias ficam armazenadas em espécies de parques que são divididos com nomes como Terra da Bobeira, Terra do Hóquei, Terra da Família e Terra da Amizade. O subconsciente, o esquecimento, o desejo… Tudo ganha forma em Divertida Mente.

emoções

O  filme passeia entre a crise na mente de Riley e os impactos no mundo externo e é interessante ver as emoções que estão por trás de certos comportamentos no mundo real e nas relações com as pessoas próximas. Tudo que acontece na vida dela vira uma memória que é armazenada em traços de uma das emoções. O filme expõe o quanto as coisas que acontecem na nossa infância têm forte influência e impacto na nossa formação psíquica. As experiências mais fortes se transformam em memórias-base e as menos fortes vão para o subconsciente e, ainda que pareça que não, ainda exercem influência sobre as decisões de Riley.

inside-out-broccoli copy

Riley pequena, o filme acompanha o crescimento dela.

Divertida Mente é um filme sobre como nossa personalidade é traçada na nossa infância, como a distribuição de emoções em nossas memórias impacta nossa formação psíquica e como, às vezes, nos enganamos ao achar que tudo que precisamos é da Alegria. A Tristeza exerce uma função muito importante nas nossas vidas. É através da Tristeza que enxergamos o quanto algumas coisas são valiosas, e através dela que podemos tomar decisões que vão alterar o curso da nossa vida. A gente perde tanto tempo buscando a Alegria que acaba não enxergando as coisas boas que nossos momentos de Tristeza podem nos trazer, Divertida Mente é sobre tomar consciência das nossas emoções.

Um filme muito delicado e muito genial. Divertido pra crianças e impactante para adultos.

Cultura, Pintura

Picasso: mão erudita, olho selvagem

Fazia tempo que eu não passava pra indicar uma programação cultural, mas é que último semestre da faculdade monopoliza todo o tempo de uma pessoa. O fato é que voltei e as indicações também! Esses dias fui no Instituto Tomie Ohtake ver a exposição do Picasso que está lá desde o dia 22 de maio e fica até 14 de agosto… Ainda tem um mês!

A maioria das pessoas quando pensa em Pablo Picasso, logo pensa nas suas obras cubistas, mas o cubismo foi apenas uma das fases do francês que começou a pintar aos 7 anos e pintou até quase o dia da sua morte, aos 91 anos.

Croquis do figurino que Picasso desenhou para o balé Pulcinela em 1920

Croquis do figurino que Picasso desenhou para o balé Pulcinela em 1920

A exposição separa as 153 peças (parte do acervo do Museu Nacional Picasso-Paris) em fases e se você for com calma e ler todas explicações, é mais rico que uma aula de arte! Algumas fases exploradas na exposição:

O primeiro Picasso: formação e influências

Nessa fase, Picasso estudava na Escola de Belas Artes de La Coruña onde seu pai (também pintor e restaurador de obras de arte) era professor.

7

L’homme à la casquette, Picasso pintou quando tinha apenas 14 anos.

Picasso Exorcista: as senhoritas de Avignon.

Foi aqui, em férias no litoral espanhol, que Picasso passou a dar um novo rumo para sua arte. Foi nessa fase que inicializou a revolução do cubismo e que passou a pintar quase que exclusivamente o corpo feminino. Foi nessa fase que ele começou a geometrizar as coisas.

Picasso Cubista: O Violão.

O Cubismo de Picasso é estudado em três partes: a cezanniana, a analítica e a sintética. O Violão é uma obra que está entre a segunda e a terceira parte. O instrumento, que era objeto de fetiche de Picasso, afirma o parentesco espiritual entre a pintura e a música.

O Violão, 1912

O Violão, 1912

Picasso Surrealista: As Banhistas.

De férias em Dinard entre 1928 e 1929, no litoral francês, com a mulher e o filho, Picasso deu início a uma fase surrealista. O que antes era forma, agora passa a pintar anatomias decompostas. A tela “As Banhistas” é um retrato dos encontros secretos, que foi inspirado pelas confusões que as férias desse verão trouxeram, pois sua amante Marie-Thèrése Walter também estava em Dinard.

5

As Banhistas

Picasso Engajado: Guernica.

A partir de 1936, Picasso se envolve em projetos para desenvolvimento da arte e da cultura do governo da Frente Popular na França. É nesta fase que sua arte se engaja na luta política e contribui para a história contemporânea. Em 1937, na Exposição Universal, em Paris, ele pinta Guernica como reação da cidade basca ao bombardeio pela aviação nazista em 1937.

Registro fotográfico do processo de criação de Guernica, em 1937.

Registro fotográfico do processo de criação de Guernica, em 1937.

 

Grande Banhista com Livro, 1937

Grande Banhista com Livro, 1937

 

Mulher chorando, 1937

Mulher chorando, 1937

Picasso na resistência: Interiores e Vanitas.

Nessa fase, Picasso fica obscuro. Lida muito com o medo e a dor. Nessa fase Picasso sentiu-se ameaçado pelo governo, sofreu o luto pela morte de sua mãe e viveu momentos de muita angústia. Isso reflete-se em suas obras que passam a ter a morte como tema recorrente.

Gato com passarinho na boca (1939) e O Garoto e as Pombas (1943)

Gato com passarinho na boca (1939) e O Garoto e as Pombas (1943)

Picasso Múltiplo: A Alegria da Experimentação.

Nessa fase, verão de 1946, Picasso passa a se aventurar no mundo da escultura. Transitando entre materiais como argila e zinco, o artista talha animais como coruja e pomba à mão e esculpe vasos de barro. É a retomada da alegria na obra de Picasso, depois de um tempo obscuro. Algumas peças dessa época estão disponíveis na exposição em uma vitrine.

O Último Picasso: O Trunfo do Desejo.

Aqui Picasso escandaliza e passa a pintar telas explicitamente eróticas, a sexualidade passa a estar presente em sua obra quase como uma obsessão. Órgãos explícitos, cenas de orgia e sexo são pintados à exaustão em sua última fase criativa.

Tela Le Baiser, à esquerda.

Tela Le Baiser, à esquerda.

A exposição encerra com um autorretrato do artista feito apenas um ano antes de sua morte que soa quase amador, o que é muito irônico pra quem pintou L’homme à la casquette aos 14 anos.

Autorretrato: O jovem pintor, 1972

Autorretrato: O jovem pintor, 1972

Recomendo que quem puder, vá ver de perto! Tem muita coisa que não registrei pra não entregar tudo…

  • Instituto Tomie Ohtake – Rua Coropé, 88, Pinheiros
  • R$ 12,00 inteira / R$ 6,00 meia – entrada gratuita às terças-feiras
  • Abre de terça à domingo, das 11h às 20h (pode entrar até às 19h)

 

 

M.B. pelo mundo

Graz: um paraíso artístico no interior da Áustria

Graz é a segunda maior cidade da Áustria (Viena é a primeira) com um pouco mais de 300 mil habitantes. Ela até é pouco conhecida no mundo, mas é uma referência para os austríacos que têm a cidade como referência quando se fala de vida noturna, design, gastronomia, arte contemporânea e moda – muitas pessoas vão até Graz apenas para fazer compras.

austria3-7

A cidade tem 300 mil habitantes, desses 300 mil, 40 mil aproximadamente são estudantes das 6 universidades da cidade. Fica à duas horas de carro de Viena e é surpreendente se deparar com uma metrópole tão no interior. A moda é muito forte na cidade, em partes graças à Lena Hoschek, uma estilista da cidade e que é conhecida no mundo todo por vestir grandes celebridades.

austria10-12

austria5-5

Graz fica na região de Styria que é muito conhecida pelos seus vinhos e cafés. Muitos castelos estão abertos à visitação em toda a Europa, mas é em Graz que tem o Schlossberg que conta com um elevador muito rápido que leva os visitantes do térreo ao topo em 30 segundos! São dezenas de opções de cafés, restaurantes, pubs… Tudo com muita qualidade e um público vanguardista. É uma cidade que atrai muitos poetas, artistas, cineastas, atores, designers, estilistas e entusiastas da arte.

austria12-1

austria6-4

austria9-11

Uma das principais paradas em Graz é o museu Kunsthaus, que abriga o Museu de Arte Contemporânea e foi projetado pelos arquitetos britânicos Peter Cook e Colin Fournier. Construído em 2003, o museu produz 100% da energia que consome através de painéis solares, e tem como proposta levar o que há de mais inovador na arquitetura para a cidade que é super histórica, produzindo assim uma interessante ponte entre a vanguarda e o que existe de mais tradicional. O museu é parada obrigatória pra quem passa pela região, não possui um acervo fixo, mas possui um espaço que atende a todos os pré-requisitos para a realização das maiores exposições do circuito contemporâneo.

austria13-2

austria8-10

austria7-8

austria2-9Todas as fotos do post foram tiradas por mim em uma viagem que fiz pra lá. Tem trens diretos de Viena, de Frankfurt e de Munique. Quem tiver a oportunidade de conhecer um dia, eu indico, é um lugar muito inspirador!

Meio Ambiente

Toca da Onça: todo mundo pode ajudar!

A OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) Ampara (Associação das Mulheres Protetoras dos Animais Rejeitados e Abandonados) Animal é uma organização que há 6 anos se dedica a transformar a vida de cachorros e gatos desamparados no Brasil. Eles são super sérios e eu e o Ju temos uma relação bem próxima com as meninas e somos grandes admiradores e apoiadores do trabalho delas. Inclusive, a Carlota – que foi adotada pela gente através da AMPARA  – já participou de uma campanha delas (<3).

Ju e Carlota pra AMPARA. Muito amor!

Ju e Carlota pra AMPARA. Muito amor!

Mês passado o episódio da onça Juma chocou o país quando foi executada após supostamente atacar um soldado depois da cerimônia de passagem da tocha olímpica em Manaus. Bom, a primeira pergunta é: POR QUE essa onça estava lá? Até quando a gente vai usar animais pro nosso entretenimento? Bom, o assunto é triste o bastante e não precisamos nos alongar nele. Acontece que a partir disso, a AMPARA se mobilizou para construir um lugar para amparar os animais da Associação Mata Ciliar. Esse espaço visa reabilitar os animais pra que voltem para seu habitat nacional.

ampara toca

A má notícia é que precisam de muito mais recurso do que dispõem, a boa notícia é que todo mundo pode ajudar! E é por isso que resolvi chamar atenção aqui pra isso… Pra pedir que assistam o vídeo e ajudem com o que puderem. É importante e o trabalho é lindo, feito com muita responsabilidade e amor!

Citação da Juliana Camargo, da Ampara: “O episódio catastrófico envolvendo a Onça Juma, na cerimônia da Tocha Olímpica chocou o país. A falta de respeito pelos animais anda explícita e infelizmente algumas vidas precisam ser sacrificadas para que o mundo desperte o olhar para esta triste realidade. As onças são cada vez mais vítimas do despreparo e maldade humana. Com a caça e destruição das florestas, o número dessas espécies vivendo em cativeiro só aumenta. Por isso a Ampara Animal tomou a iniciativa de amparar os animais da Associação Mata Ciliar. Precisamos da sua ajuda para construir um espaço digno para elas viverem confortavelmente e, quem sabe um dia, possamos reabilitá-las na natureza. “

Clicando aqui você pode contribuir para salvarmos outras Jumas. Faça parte dessa corrente do Bem.

Beleza

A importância de tonificar a pele: o segundo passo por Edy Guimarães

No meu primeiro post aqui no site da Monica, sobre o cuidado especial que devemos ter com a pele, eu citei a importância da esfoliação para a renovação celular. É natural que esse segundo passo fale sobre tonificar, então vamos aprender um pouco mais sobre o que seria esse processo tão importante e muitas vezes esquecido.

tonificacao

O que é tonificar a pele?

É o processo de complementar a limpeza do rosto e compensar algumas características da pele, como a sensibilidade ou oleosidade. Por essa razão, consegue equilibrar e dar maior conforto. Ele também revigora, deixando a sensação de pele pronta para, inclusive, o próximo passo da rotina diária, que é a hidratação – vamos falar mais sobre isso em um próximo post.

Os tônicos também podem ajudar quem passa por problemas com poros dilatados, minimizando essa condição. Para quem tem a pele muito oleosa, o adstringente, que é um passo além do tônico, pode ser usado. Para as meninas que gostam de produtos multifuncionais, a água micelar pode entrar na jogada como demaquilante suave, tônico e auxiliar na hora da hidratação.

Algumas opções interessantes:

– Loção tônica da Schraiber, que é vegana e conta com extrato de Aloe e Artemísia na sua composição. Pode ser usada de manhã e a noite. Disponível aqui.

Eau Démaquillante Micellaire Douceur‏, da Mary Cohr, também livre de teste em animais, essa água micelar cumpre a função de tonificar a pele. Na fórmula, Extrato de Flor de Cerejeira, que proporciona hidratação, ação antioxidante e conforto na pele.

Como estão indo com os cuidados com a pele?

Nos vemos no próximo post!

Escultura

A arte cinética e sua magia

A arte nem sempre é estática como as pinturas e esculturas, arte pode ter movimento. E é sobre movimento que se trata a arte cinética, é na cinética que a arte não mais tem a representação do movimento e sim é o próprio movimento físico em si ou ilusão de ótica ou truques de posicionamento de peças. A arte cinética (ou cinetismo) tem sua origem na França nos anos 50. A primeira exposição do tema que se tem informação foi em 1955, pela galera Denise René e reuniu trabalhos de Calder, Duchamp, Agam, Pol Bury, Tinguely e Yves Klein. Os artistas dessa corrente são, em sua maioria, adeptos da arte abstrata.

Principais características da arte cinética:

  • Estímulo do sentido visual por meio de efeitos visuais (movimentos, ilusão de ótica, etc.)
  • Profundidade e tridimensionalidade
  • Uso de cores, luz e sombra
  • Uso de formas simples e repetidas
  • Oposição a arte figurativa

Melhor exemplificar com a obra de alguns artistas, né?

Abraham Palatnik: precursor da arte cinética no Brasil, o potiguar é reconhecido internacionalmente por suas obras com precisão matemática impressionante. Ele expôs no MAM aqui  em São Paulo no ano retrasado e o vídeo da exposição diz mais que qualquer apanhado de obra que eu fizer pra colocar aqui:

Jean-Pierre Yvaral: o francês começou fazendo publicidade como seu pai, mas acabou por tornar-se uma grande referência na arte cinética e na associação da arte com matemática e programação. Yvaral desenvolveu fórmulas e codificações de elementos visuais, buscando uma lógica de resultados para suas criações.

495a20f34c9f153c7727593e147502f8

AC01

62dc39ada0f6c5cb6f4e1ee06405a748

Jesus Soto: o venezuelano dedicou-se à arte comercial a à direção de uma escola de artes no seu país de origem até 1950, quando aos 27 anos se mudou pra Paris e passou a dedicar-se à arte cinética, tornando-se também referência dentro do cinetismo. Soto expôs em muitos países ao redor do mundo e se tornou conhecido por suas obras cinéticas que permitiam a interação com o apreciador.

08-Soto-Chronochrome-Perrotin

AC02

penetrable_photo_1

Um dos nomes que não se pode deixar de falar quando se fala de arte cinética, é o Alexander Calder, mas sou tão apaixonada por ele e os móbiles dele que vou só deixar citado e volto outro dia pra fazer um post só pro Calder. <3

Alimentação

Inverno, hora de recolher! por Carol Viesi

96730261cf83b9a91bf0d71893d37666

Sabia que a cada estação o corpo pede determinados tipos de alimentos e que a mãe natureza nos oferece exatamente o que precisamos? Já pensou nisso? Entramos no inverno. Nosso corpo concentra sua força para conseguir manter-se quente, em equilíbrio.

 É a fase de energia associada ao Inverno, quando prevalece a força Yin. O Inverno é o tempo do descanso, da quietude, quando a energia é poupada, recolhida, condensada, conservada e armazenada. O inverno é a estação em que a natureza hiberna e conserva a sua energia, cultivando os recursos que irão florescer na primavera.

Pela Medicina Tradicional Chinesa, que admiro muito, o inverno é a estação da quietude, repleto de dias curtos e noites longas, sendo a própria natureza nos informando sobre a postura correta que devemos ter nesse período. É a estação do elemento água, e está relacionado com os rins e bexiga e também com a força vital que flui. O sabor correspondente é o salgado e a cor é o branco.

Observando o nosso corpo e nossas vontades, sabemos que agora preferimos nos alimentar com preparos quentes, de fácil digestão, picantes e com muitos temperos. Então, vamos seguir esse raciocínio?

Agora é a hora de comer tudo cozido, assado, bem quentinho para aquecer o corpo e o seu coração. Que tal um delicioso mingau de aveia em seu café da manhã? E um creme de cabotiá, cenoura e gengibre para o jantar? Use e abuse da canela, cravo, gengibre, pimenta preta, cardamomo, curry, massalas quentes… O inverno tem o seu charme, mas também o seu sabor!

Outra dica. Frutas? Só se for cozida ou assada!

Mingau de banana c/ pasta de castanhas

savory simple

Leve ao fogo baixo: 1 copo de leite vegetal, 2 colheres sopa de aveia em flocos finos ou farinha de aveia, 1 colhere sopa de amaranto em flocos, cacau e canela a gosto, mel e mexa sem parar. Deixe engrossar um pouco. Despeje em uma tigela e coloque granola, rodelas de banana e uma colherada de pasta de castanhas de sua preferência. <3

Creme de cabotiá, cenoura e gengibre

0b458e981a238a00085b0739eab42fa1

Ingredientes:

  •  ½ cabotiá c/ a casca e sem sementes
  • 3 cenouras s/ casca
  • 2 rodelas médias de gengibre ralado fresco
  • ½ pedaço de tofú firme
  • Sal
  • Azeite
  • Cheiro verde

Preparo: Leve na panela de pressão a cabotiá (não precisa cortar) e a cenoura c/ o sal e o azeite, colocando água até cobrir bem. Deixe cozinhando por uns 15 a 20 minutos, após pressão.  Desligue o fogo, cuidadosamente retire a pressão e abra a tampa. Agora, bata com um mixer direto na panela, ou passa para um liquidificador, com a própria água do cozimento. Acrescente o gengibre, o tofu e o cheiro verde. Se necessário, acrescente um pouco mais de água. Por último, corrija o sal.

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.

Carol é nutricionista, especialista em Personal Diet, pós graduanda em Nutrição Clínica Funcional, membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Funcional, associada ao Slow Food e membro do Slow Food Campinas.